> Canais > Ambiente > Ambiente 2002 > O Ordenamento da Orla Costeira no PNSACV
Share |
Enviar a um(a) amigo(a)E-mail      ImprimirImprimir      FavoritosFavoritos      Adicionar comentárioComentários

• 12-04-2002 •
Ambiente
por Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
(ICN)


O Ordenamento da Orla Costeira no PNSACV


Segundo a Resolução do Conselho de Ministros n.º 152/98 de 30 de Dezembro, “O troço de costa compreendido entre Sines e Burgau apresenta um conjunto de características peculiares que levaram à sua classificação como área protegida. Embora sujeito a pressões de transformação urbano-turística, este troço costeiro mantém ainda, na generalidade, as suas características naturais e paisagísticas, com uma flora de alto valor científico e oferecendo condições muito favoráveis para o desenvolvimento e preservação de algumas espécies faunísticas.


As potencialidades turísticas deste troço de costa estão na origem de tendências de crescente expansão da procura balnear e de alastramento da ocupação edificada. Estas tendências de transformação, que apontavam para um significativo crescimento urbano-turístico, encontram-se na actualidade parcialmente condicionadas e orientadas por instrumentos de planeamento que estabelecem um quadro de desenvolvimento  mais equilibrado entre as diversas actividades, de entre os quais serão de realçar os Planos Regionais de Ordenamento do Território do Litoral Alentejano e do Algarve, bem como o Plano de Ordenamento do Parque Natural do sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

 

O Plano de Ordenamento da Orla Costeira Sines-Burgau (POOC), dando continuidade às opções contidas naqueles planos, possibilita a definição mais rigorosa das regras de uso e ocupação da faixa costeira, promovendo a defesa das zonas de maior sensibilidade ecológica e os valores patrimoniais e paisagísticos, em face das dinâmicas de ocupação urbana e turística que se mantêm, em resultado do potencial atractivo da zona.

 

Por outro lado, o POOC Sines-Burgau permite agora a definição de regras de ordenamento das diversas praias de acordo com a sua capacidade de utilização, visando ainda, em última análise, criar condições para o desenvolvimento social e económico sem colocar em causa a perenidade dos valiosos recursos naturais existentes”.

 

Na sequência desta resolução, o PNSACV tem vindo a realizar diversas intervenções na sua faixa costeira que visam o seu ordenamento por forma a garantir a fruição racional e sustentável dos espaços com aptidão turistico-balnear. De entre as várias intervenções destacamos aquelas realizadas e/ou a realizar na costa de São Torpes, pertencente ao concelho de Sines, distrito de Setúbal.

 

Estas intervenções consistem principalmente na construção de parques de estacionamento, redes de drenagem e enterramento de cabos eléctricos ou telefone e a requalificação dos equipamentos de apoio balnear como, por exemplo, os bares e/ou restaurantes. A definição do número de lugares de estacionamento resulta das características físicas das praias e da determinação da sua capacidade balnear.

 

Assim, nas praias da costa de São torpes estão a ser construídos diversos parques de estacionamento com as seguintes capacidades:


pnsacv2Praia de São Torpes – 970 lugares (com um custo total de cerca de 170 mil contos)

Obras do parque de estacionamento em construção perto do restaurante “Trinca Espinhas”.


Praia de Morgavel – 250 lugares (com um custo total de cerca 60 mil contos).pnsacv5

Obras do novo parque de estacionamento da praia de Morgavel junto aos novos restaurantes.


As obras em curso estarão finalizadas ainda antes do início da época balnear.


Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina - 12-04-2002 14:17

Share |
Enviar a um(a) amigo(a)E-mail      ImprimirImprimir      FavoritosFavoritos      Adicionar comentárioComentários

Veja também...

Respeitar a natureza e o património

Várzea de Setúbal o esquecimento até à próxima

Preservar o equilíbrio

A Ilha do Pessegueiro

E eis Setúbal entre as mais belas baías do mundo