> Notícias > Associação de comerciantes responde a acusações de João Cesário
Share |
Enviar a um(a) amigo(a)E-mail      ImprimirImprimir      FavoritosFavoritos      Adicionar comentárioComentários

Associação de comerciantes responde a acusações de João Cesário


A Associação do Comércio e Serviços do Distrito de Setúbal acusou ontem o associado, João Cesário, de "estar a contribuir para denegrir a imagem da associação e em particular do presidente da direcção", António Narciso. O responsável admitiu que, "a associação vai levantar um inquérito" ao associado e que o mais provável será a "sua expulsão".


Uma acusação que é refutada por João Cesário que diz, que o que está a tentar fazer "é alertar os comerciantes", dizendo que, "os actuais directores são incompetentes". João Cesário refere ainda que, "a associação é de todos os comerciantes e que não serve para ser uma quinta dos directores".

 

"As divergências começaram quando não foi aceite a candidatura de João Cesário à associação", explica Rogério Gonçalves, presidente da Assembleia Geral da Associação. Este responsável acusa João Cesário de "querer ir para a associação com interesses", e adiantou que este associado "tem é alguma coisa pessoal contra o presidente, mas que não pode misturar uma coisa com a outra e que por isso tem que vir a ser excluído", afirma.

 

João Cesário "recorreu da decisão da Comissão Eleitoral por não ter aceitado a sua candidatura, ao Tribunal de Setúbal, que lhe deu razão", afirmou António Narciso, acrescentando que, "a Assessoria Jurídica da Associação recorreu desta sentença e que esperam agora a decisão do tribunal da Relação de Évora". Quanto a esta questão João Cesário afirma que, a associação recorreu para "ganhar mais tempo para estarem mais tempo naquilo a que chamam de sua quinta". O associado diz ainda que a sua lista não foi aceite porque a associação afirma que o artigo 18 do estatuto da instituição refere que da lista tem que fazer parte um director de uma delegação, uma interpretação que João Cesário diz "não estar correcta já que o que diz o estatuto refere é que as listas têm que ter um director dos comerciantes".

 

João Cesário, diz ainda "não haver democracia dentro da associação", e afirma que, "ninguém o consegue fazer, enquanto esta direcção permanecer na associação ". Este associado acusou ainda a associação de não defender os direitos dos comerciantes, já que em todo o lado abrem espaços comerciais e a associação nada faz para os travar.

 

António Narciso falou ainda da demissão do presidente da Delegação do Montijo e Alcochete, António Caetano, por João Cesário acusar a Comissão Eleitoral de, "não ter detectado uma ilegalidade", que se prende com a cessação de actividade de António Caetano, como empresário em nome individual no final de 1997. Uma ilegalidade, para a qual o presidente da associação pergunta se João Cesário "não teria mais possibilidades de a verificar", na medida em que, "ambos fizeram parte da mesma lista".


“Setúbal na Rede” - 18-10-2002 18:42

Share |
Enviar a um(a) amigo(a)E-mail      ImprimirImprimir      FavoritosFavoritos      Adicionar comentárioComentários

Artigos Relacionados...

João Cesário, delegado da Associação de Comércio e Serviços do Distrito

“O Montijo tem as condições mas não as executa”

José Landeiro Borges, novo presidente da Associação de Comércio e Serviços do Distrito de Setúbal

“Há lojas que não têm medo das grandes superfícies “



Veja também...

Duas linhas de crédito foram lançadas na Feira do Porco

Plano do Pego do Altar contestado pelos proprietários

PAN de Almada apresenta queixa contra Câmara da Moita

Agricultores pedem apoio para prejuízos causados pelo mau tempo

Barreiro pode ter novo terminal de contentores