[ Edição Nº 01 ] – Principais acontecimentos de 1997.

0
Rate this post

          Janeiro – Assembleia Geral do Vitória de Setúbal com o objectivo de eleger uma Comissão Directiva, para gerir os destinos do clube até ao aparecimento duma lista candidata às eleições. Mata Cáceres, Fernando Pedrosa, Josué Monteiro e João Gonçalves foram os nomes avançados para esta Comissão.                Sobe ao palco, pela primeira vez, um dos melhores espectáculos do ano em Setúbal: “Porgy and Bess”, ópera de George Gershwin, produzida pelo Coral Luísa Todi, com a participação do Teatro Animação de Setúbal e Companhia de Dança Contemporânea.

               “É preciso incomodar o poder”. D. Manuel Martins abre deste modo o seminário sobre exclusão social e pobreza, realizado em Palmela.

               Mata Cáceres é absolvido pelo Supremo Tribunal Administrativo, das suspeitas de irregularidades na gestão autárquica denunciadas pela Inspecção Geral das Finanças.                O treinador Mário Reis deixa o Bonfim. Mourinho Félix é o sucessor nomeado.

          Fevereiro – Mais de 400 motards concentram-se em Setúbal, no encerramento da semana do Projecto Vida.                Plano de reestruturação para a Lisnave celebrado entre Governo e grupo Mello.                Dezenas de trabalhadores dos SMS manifestam-se em frente à Câmara Municipal de Setúbal contra a concessão dos serviços.                Bloqueio espanhol pára ex-Renault e provoca prejuízos de 30 mil contos à AutoEuropa.

          Março – Mourinho Félix deixa de ser o treinador do Vitória. Entra Manuel Fernandes.                Jorge Sampaio visita a aldeia e o porto palafítico da Carrasqueira, na Comporta.                Justo Tomaz é reeleito presidente do clube do Bonfim.                Moradores do Pote D'Água organizam manifestação contra os atropelamentos na Av. Bento de Jesus Caraça.                Proferida a sentença para o julgamento do ano em Setúbal: Os quatro réus do “gang do Multibanco” condenados a 65 anos de cadeia.

          Abril – Parecia mentira, mas não foi: a Passagem Desnivelada do Quebedo era inaugurada.                Polícia Judiciária de Setúbal apreende 2700 Kg. de haxixe.                Sines abandona Região de Turismo Costa Azul.

          Maio – Augusto Mateus, ministro da Economia, garante aos trabalhadores da Sodia/Renault a manutenção dos 600 postos de trabalho até 1998.                Manuel Fernandes, técnico do Vitória assina um contrato com o clube válido até ao final da próxima temporada.                Escórias de alumínio, há 10 anos na Metalimex começam finalmente a ser retiradas.                Estuário do Sado entra na rede Natura 2000.                Mais de um milhar de estudantes saem à rua em protesto contra os exames nacionais do 12.º ano, e provas globais do 9.º ano.

          Junho – Municípios de Setúbal e Aerset criam lobby de pressão junto do Governo para a localização do novo aeroporto internacional em Rio Frio.                Apenas 170 estrangeiros, de um universo de cerca de um milhar, aderem ao recenseamento eleitoral na região de Setúbal.                Comerciantes da Av. Luís Todi protestam contra grande empreendimento ligado à restauração para a zona.                A Assembleia Municipal aprova a vinda do GPL para Setúbal.

          Julho – Freguesias do concelho aceitam candidaturas para o projecto definitivo do Rendimento Mínimo Nacional.                Sonae compra Torralta por 4,9 milhões de contos, depois de vinte anos do início da crise desta empresa.                Trabalhadores da Lisnave assinam contrato com a empresa em reestruturação.                Inaugurado o fornecimento de gás natural ao distrito de Setúbal.                É aprovada em sessão extraordinária da autarquia setubalense, a participação da Câmara em 40 por cento do capital social da Sociedade Anónima Desportiva do VFC. Em assembleia geral os sócios do clube sadino aprovam a criação da Sociedade Anónima Desportiva.                São assinados na Mitrena os acordos sobre a concessão da Setenave entre Estado português e Grupo Mello.

          Agosto – Eufrázio Filipe é eleito novo presidente da Região de Turismo da Costa Azul.                A escritura da constituição da Sociedade Anónima Desportiva do VFC é assinada no Cartório Notarial da Baixa da Banheira.                Torna-se público que a Sonae vai dispensar 114 trabalhadores da Torralta, em Tróia.

          Setembro – Maria Adelaide Rosado Pinto morre aos 84 anos. Desaparece um dos maiores nomes da cultura de Setúbal.                Vem a público o desaparecimento de 1.300 contos do Bingo do Vitória. O desfalque remonta à segunda quinzena de Abril.                A proposta do consórcio Luságua, vencedor da concessão dos SMS, é aprovada apenas pela maioria socialista em sessão da Câmara. A Indaqua, um dos excluídos ameaç avançar com a impugnação do processo em Tribunal.

          Outubro – Quartel de Brancanes é entregue à Direcção Geral dos Serviços prisionais para ser transformado em cadeia.                Pela primeira vez, um médico – José Poças, do Hospital Distrital de Setúbal – denuncia a falta de condições dos hospitais para atender e tratar de doentes de sida.                Representantes do PS de Setúbal apresentam queixa à Alta Autoridade para a Comunicação Social sobre o conteúdo de alguns programas da Rádio Voz de Setúbal.

          Novembro – As maiores cheias desde 1983 deixam várias zonas da cidade completamente inundadas.                A Direcção do Vitória de Setúbal despede Manuel Fernandes devido aos maus resultados da equipa sadina. José António Barrios, treinador espanhol, é contratado como novo técnico do clube.                Câmara e APSS assinam protocolo para a renovação da zona ribeirinha.

          Dezembro – Câmara Municipal de Setúbal aprova orçamento para 98 no valor de 18 milhões de contos, com os votos da maioria socialista e uma abstenção do PSD. Os vereadores da CDU não estiveram presentes.                Mata Cáceres perde a maioria absoluta nas eleições autárquicas disputadas em Setúbal. As “cadeiras” ficam distribuídas do seguinte modo: PS – 4 vereadores; CDU – 3 vereadores; PSD – 2 vereadores. O partido socialista “rouba” aos comunistas a presidência das câmaras de Sesimbra e Montijo.                A Alta Autoridade para a Comunicação Social dá razão à Câmara de Setúbal na queixa apresentada contra a Rádio Voz e a Rádio Azul.