[ Edição Nº 21 ] – Quercus rejeita Auto-estrada do Sul na Serra do Caldeirão.

0

barra-6955963 Edição Nº 21,   25-Mai.98

linha-7266420

Quercus rejeita Auto Estrada do Sul, na Serra do Caldeirão

           Os ambientalistas da Quercus reuniram com o ministro do Planeamento, João Cravinho, para dizerem que rejeitam o projecto relacionado com o último troço da auto-estrada do Sul, pelo facto de estar previsto o atravessamento da Serra do Caldeirão. A Quercus garante que este traçado põe em perigo todo o equilíbrio natural da Serra e garante que existem alternativas.

          “O atravessamento da Serra do Caldeirão por uma infraestrutura viária como a auto-estrada do sul põe em causa toda uma série de biótipos importantes porque, pelo projecto, a travessia será feita de forma perpendicular ao desenvolvimento dos montes e dos vales. E isso poderá funcionar como uma barreira ao desenvolvimento normal do sistema, nomeadamente ao nível geológico”.

          A afirmação é do presidente da Assembleia Geral da Quercus, José Manuel Palma, em declarações ao “Setúbal na Rede”. Este responsável que participou na reunião da semana passada, entre a Quercus e o ministro do Planeamento, João Cravinho, para falar das questões relacionadas com o último troço da auto-estrada do sul, garante que o encontro revelou-se inconclusivo. “Isto apesar do ministro nos ter dito que iria estudar alternativas ao traçado previsto”, adianta José Manuel Palma. É que o ambientalista não acredita poder ver concretizada uma alternativa ao traçado definido porque “o Governo parece não mostrar muito interesse e, se o tivesse, já teria uma solução porque toda a gente sabe que a entrada no Algarve não precisa de uma nova auto-estrada”. Segundo o dirigente da Quercus “o fluxo de trânsito de Lisboa para o Algarve, já na sua última fase, precisa é de ver o IP1 alargado para três faixas ou, em última análise, de uma estrada paralela que, na sua fase final, pudesse fazer ligação ao IP1, de maneira a satisfazer as necessidades do tráfego naquela zona”.
          Quanto aos problemas levantados pelos ambientalistas num dos troços da auto-estrada do sul que passa pelo Litoral Alentejano, José Manuel Palma garante que “as coisas ficaram resolvidas porque o ministro decidiu mandar alterar o traçado”, pelo que a via “já não passa pela Zona de Protecção Especial” de Castro Verde.
          A conclusão da auto-estrada do sul, que ligará Lisboa ao Algarve, está prevista para meados do ano que vem, sendo que o troço entre Alcácer e Grândola será inaugurado no próximo dia 14 de Julho.

seta-2534621