[ Edição Nº 21 ] – Secretário de Estado da Produção Agro-Alimentar visita Setúbal.

0

barra-4704237 Edição Nº 21,   25-Mai.98

linha-2224353

Secretário de Estado de visita a Setúbal
Para incentivar a legalização dos produtores de queijo de Azeitão

           No dia 19 de Maio, o secretário de Estado da Produção Agro-Alimentar, Manuel Cardoso Leal, visitou algumas das queijaria artesanais dos concelhos de Setúbal e Palmela, responsáveis pela fabricação do famoso queijo de Azeitão. O representante do Governo avançou ao “Setúbal na Rede”, as razões que o levaram a fazer esta visita.

          “O Governo decidiu simplificar o normativo referente à legalização das pequenas queijarias”, no sentido de permitir que os produtores se legalizem. A afirmação é do secretário de Estado da Produção Agro-Alimentar, Manuel Cardoso Leal, em declarações ao “Setúbal na Rede”, durante a visita que efectuou a três queijarias artesanais produtoras do queijo de Azeitão: a queijaria Agrisado, na Quinta de Camarate, em Azeitão, a queijaria de Vitor Carvalho Fernandes, em Palmela e a de Francisco Firmino Antunes, na Quinta do Anjo, também no concelho de Palmela.

          Segundo o representante do Governo, a visita a estes locais da fabrico do queijo tradicional de Setúbal prendeu-se com “a necessidade de incentivar os produtores artesanais a legalizarem a sua situação”, sendo que para facilitar o trabalho, o Governo já decidiu ´aliviar’ todo o processo de legalização, um processo que merecia a crítica de alguns produtores que alegavam ter de cumprir demasiados critérios para obter a legalização da produção de queijo artesanal.
          Questionado pelo “Setúbal na Rede” sobre as perspectivas de apoio governamental à fabricação artesanal do queijo de Azeitão, o secretário de Estado garantiu que “o Governo disponibiliza apoios e subsídios e garante o acompanhamento da saúde dos animais e o acompanhamento ás entidades de certificação do queijo”. Mas, para além dos apoios disponibilizados pelo Governo, Manuel Cardoso Leal garante que “o mais importante para que a actividade se mantenha, é que o mercado também a suporte”. Para isso há que “valorizar a actividade, como forma de estímulo, e isso significa ainda que, em termos culturais, as actividades aqui fiquem”. Quanto às actividades relacionadas com a fiscalização da produção do queijo artesanal, o secretário de Estado garantiu ao “Setúbal na Rede” que “o esforço no sentido de fiscalizar tem vindo a ser efectuado a par com este esforço de legalização”. Manuel Cardoso Leal salientou o esforço do Governo “no sentido de mudar, através da legalização de todas as unidades”, o que permitirá que “a fiscalização sobre as instalações ganhe uma nova autoridade, e que a fiscalização sobre os produtos venha a ser acentuada”. Tudo para que o trabalho de todas as unidades de fabrico do queijo de Azeitão sejam “enquadradas pela lei, e viáveis do ponto de vista económico”.

seta-2569230