[ Edição Nº 29 ] – Lançamento do Projecto Valnet Sado.

0

barra-5354211 Edição Nº 29,   20-Jul.98

linha-7398940

Projecto pioneiro de rede regional de computadores
Valnet Sado – Setúbal na era digital

           Mariano Gago, ministro da Ciência e Tecnologia, esteve em Setúbal no lançamento do projecto Valnet Sado, uma iniciativa de âmbito regional, baseado na criação de um sistema completo de redes de dados internet, criação de conteúdos e aplicações, com vista à generalização da utilização de soluções telemáticas e que visa atingir cerca de 700 mil habitantes e 30 mil empresas. O projecto integra a AERSET – Associação Empresarial da Região de Setúbal, a SOSET – Sociedade de Desenvolvimento Empresarial de Setúbal, a EASTÉCNICA, a ITNET – Internacional de Comunicação, SA e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova.

          A iniciativa, apresentada na passada quarta-feira, pioneira no nosso país, conta um investimento global em cinco anos de 2 milhões de contos. Com um capital social inicial de cinco mil contos, dividido em partes iguais, a ser aumentado para cem mil contos em Setembro, a Valnet Sado traduz-se, na prática, por um serviço Intranet que disponibiliza o acesso à informação às empresas e aos cidadãos da região de Setúbal. Futuramente serão criadas muitas outras aplicações telemáticas nesta rede regional, considerada pelos promotores como sendo de “interesse estratégico e vital para a região de Setúbal”, uma vez que a criação desta empresa visa “congregar um conjunto de entidades que pelas suas valências se complementam, permitindo construir soluções globais, modulares e avançadas para a região”.

          No entender de Mariano Gago, que fez votos para que este projecto tenha uma vida que corresponda às expectativas que todos põem nele, a Valnet Sado é uma iniciativa “da sociedade local, inovadora no país, que tem no desenvolvimento da região a sua base”. Reconhecendo a sua importância, o ministro apoiou o projecto, que se enquadra na linha de outras iniciativas preparadas pelo Governo, nomeadamente, no âmbito do programa “cidades digitais”, no qual Aveiro é a cidade-teste. “Já passámos a fase de experimentação e estamos na fase de levar benefícios às pessoas”, salientou Mariano Gago, que chamou a atenção para o papel difusor e facilitador que o Estado deve ter.
          Fidélio Guerreiro, presidente da AERSET, salientou as potencialidades do mundo digital, que abre novas perspectivas de negócio, através do aumento gradual do número de clientes e do lançamento de novos produtos. Um verdadeiro “desafio às empresas portuguesas”, que terão de olhar para além dos mercados tradicionais. Fidélio Guerreiro lembrou que esta região foi pioneira em vários campos, sublinhando a mudança radical que sofreu nos últimos dez anos. “Ou dominamos bem a informação em tempo útil, ou perdemos em termos de competitividade”, alertou, acrescentando que “temos capacidade de sermos os primeiros” nesta área, “se percebermos que vem aí um período novo”.
          Luís Graça, da SOSET, pegou na mesma questão – a de alguns poderem questionar se este projecto se trata de um luxo, para uma região que apresenta tantas carências -, desmistificando-a. Apostando no longo-prazo, “a região tem que ter ferramentas para efectuar uma mudança qualitativa, por isso iniciativas como esta não podem ser consideradas de perdulárias e sem sentido”, justificou, já que se trata de “um avanço de inovação técnica que vai ficar ao dispor da região”.

          Apoio do pólo tecnológico

          Leopoldo Guimarães, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova, salientou o esforço que a universidade deve fazer para se aproximar da estrutura empresarial. A referida faculdade, localizada na área de Almada, tem visto crescer o seu pólo tecnológico, onde se encontram instaladas várias empresas de inovação que, quando apresentam condições para progredir, se projectam para fora do referido campus. Ainda ontem, António Guterres inaugurou instalações destinadas às áreas de engenharia mecânica e industrial, matemática e ao complexo pedagógico do campus do Monte de Caparica. “O parque tem obrigações para com a região, como tal pode ser útil a este projecto, que conta com associados de grande crédito. Existem condições para antever um casamento feliz”, concluiu.
          Alberto Antunes, Governador Civil do Distrito, salientou a importância deste projecto num distrito “com problemas, mas com enormes potencialidades, onde é necessário de apostar nos projectos de ponta”. Considerou ainda que, deste modo, “estaremos mais preparados para vencer desafios no futuro”.           Como grandes objectivos a Valnet Sado apresenta a melhoria do acesso à informação, o desenvolvimento de conteúdos regionais e nacionais, o aumento dos mercados, o aumento da eficiência e a redução dos tempos de espera, a promoção da formação e da solidariedade via Tecnologias da Informação, proporcionar entretenimento e a melhoria da qualidade de vida. Prevê-se que a taxa de crescimento dos utilizadores das novas tecnologias desta região venha a ser, através deste projecto, superior à média nacional, no início do novo milénio. A Valnet Sado irá permitir, entre outras coisas, o acesso à informação e bases de dados, a ligação para a Internet, comércio electrónico em segurança, aumento de possibilidades nos campos de teletrabalho e teleformação, para além das telecompras.

Eduardo Marino     

seta-5114645