[ Edição Nº 47 ] – Lobby pelo aeroporto em Rio Frio reuniu com Comissão Parlamentar.

0

barra-9600877 Edição Nº 47,   23-Nov.98

linha-7076898

Lobby pelo aeroporto em Rio Frio
Reuniu com Comissão Parlamentar

           Uma troca de ideias muito importante, mas com poucos resultados práticos, foi o efeito da reunião entre a Comissão executiva Pró Rio Frio e a Comissão Parlamentar de acompanhamento do processo, presidida pelo ex-ministro Falcão e Cunha.

          O “lobby” de empresários por Rio Frio foi à reunião com o intuito de perceber qual o papel desta comissão, e na expectativa de obter alguma informação sobre o andamento da questão. Ficaram a saber que os representantes parlamentares não intervêm nas decisões e que em termos oficiais não há qualquer conhecimento sobre a decisão do Governo, tendo os membros do PS, contudo, garantido que esta matéria deve estar concluída no final do primeiro trimestre.

          Segundo José Santos, do “lobby” empresarial, os representantes do PSD e do PP mostraram-se receptivos à ideia de o novo aeroporto de Lisboa ser construído em Rio Frio, tendo Pedro Feist, do Partido Popular, adiantado que a Câmara de Lisboa defende esta mesma solução, para o “descongestionamento” da Portela.
          “Mostrámos que não somos um ‘lobby’ de brincar, e que a solução por nós defendida é séria, para contribuir para o desenvolvimento da nossa região, do Alentejo e até do próprio Algarve”, adiantou José Santos, acrescentando que um deputado do PS que tem feito intervenções públicas em defesa da Ota não conseguiu rebater os argumentos expostos pela comissão por Rio Frio, que aproveitou a reunião para desfazer alguns “mal-entendidos”. “Os deputados manifestaram-se satisfeitos pela forma objectiva e directa como a comissão apresentou as suas razões”, afirmou, ainda.
          Não obstante o “lobby” da Ota ter, até ao momento, conseguido alcançar mais atenções, através, nomeadamente, de campanhas fortes na comunicação social, os adeptos de Rio Frio preparam-se para o embate, prometendo para breve a distribuição de um documento que vai “desmistificar” os argumentos apresentados pelo defensores da Ota.

seta-5013323