[ Edição Nº 47 ] – AVISO À NAVEGAÇÃO!! por Rogério Severino.

0

barra-7982385 Edição Nº 47,   23-Nov.98

linha-1730923

rogerio-2620457

AVISO À NAVEGAÇÃO !!
por Rogério Severino (Jornalista do “Jornal de Notícias” e
membro eleito do Conselho Geral do Sindicato dos Jornalistas)

Do ‘Esperança’ ao McDonald’s
– americanices na ‘baixa’ –

           Seria inevitável. O ‘Tio Sam’ quer que os setubalenses façam parte da sua família e, pouco a pouco está a fazer de nós seus parentes. Quando se zanga, invade países, põe de lado o Direito Internacional, promove guerras, apoia ditadores; mas, como é o caso, também faz invasões ‘suaves’: ou através do dinheiro ou através do seu enorme braço que estende numa ‘ajuda’ (?!) muito discutível. E também nos invade pelos seus produtos. Desta vez é a cadeia McDonald’s. Em plena ‘baixa’ de Setúbal.           O Hotel e Café ‘Esperança’ era um verdadeiro ‘ex-libris’ de Setúbal, tal como o desaparecido restaurante Naval Setubalense. No ‘Esperança’, demolido primeiro na década de sessenta para dar lugar ao edifício onde depois foi reconstruído o hotel e o ‘café que, a par do Central, era o mais conhecido e acolhedor de Setúbal. Localizado num local estratégico sob todos os pontos de vida, o ‘Esperança’ faz parte da história da vida daqueles que hoje entram nos cinquenta anos de idade. Ali se formavam grupos, se delineavam estratégias, se discutia política e futebol, se faziam amizades, se fizeram casamentos. Há poucos anos e após a degradação do Hotel, também o ‘café’ teve que encerrar as portas.           Durante estes cerca de cinco anos haviam interrogações sobre o destino daquele ‘café’ e até do próprio Hotel. Soubemos as dificuldades que o próprio teve junto da Direcção Geral do Turismo para a aprovação da remodelação do imóvel, que vai voltar a ser um Hotel, mas quanto ao ‘caf’e’ fomos surpreendidos numa recente Sessão da Câmara Municipal que seria destinado à cadeia McDonald’s. Aliás, se recuarmos dois anos lembramo-nos dos protestos dos comerciantes da zona central da Avenida Luisa Todi que impediram que a mesma cadeia americana fizesse um pavilhão desmontável, já que tal lhes afectaria o negócio. Mas os homens do ‘Tio Sam’ são persistentes e conseguiram então obter, não sabemos de que forma, as instalações do antigo café ‘Esperança’ que vai constituir certamente o seu melhor espaço.

          Não somos pelos saudosismos nem foi essa a motivação para fazer este ‘Aviso á Navegação’, se bem que cada vez mais vão rareando os locais de encontro. A febrilidade da vida moderna já não permite que as pessoas convivam. Temos que viver muito depressa pois vamos passar muito tempo mortos. No entanto, e neste caso, aquela cadeia americana é quase uma ofensa à memória do antigo café, que era local de calma e descanso. Mas, de forma alguma estamos contra já que Setúbal também precisa de ser agitada e o McDonald’s pode fazer isso. Há, não só desta cadeia mas das outras, os malefícios que os nutricionistas consideram que a comida americana pode fazer aos jovens, principais utilizadores no consumo dos ‘hamburgers’. Por isso esperamos que os responsáveis tenham em conta as composições necessárias e que vão de encontro ao paladar dos nossos jovens.

          Pintura de Rogério Chora deve ser preservada
          Também – e isto é um alerta – o ‘Esperança’, no seu interior chamava a atenção pelo seu grande painel de azulejo com a Região dos Três castelos, da autoria do pintor setubalense Rogério Chora. Esperamos que tal pintura, ela também um orgulho dos setubalenses, se mantenha já que não aceitamos que ela seja retirada e se bem que não se encontre classificada ela representa já um património que Setúbal considera como seu. Consideramos que a pintura não incomoda o interior do espaço, pelo contrário, enriquece-o e a cidade certamente não aceitará a sua retirada.

          Por outro lado, e segundo nos foi referido pelo seu Presidente, a União de Comerciantes da Baixa de Setúbal vê de forma positiva a chegada desta cadeia americana a Setúbal considerando que anima a zona e faz com que os jovens se sensibilizem para a própria ‘baixa’. Oxalá assim seja e como a McDonald’s, neste ponto, não trás mal ao mundo esperemos que seja um estabelecimento arejado onde todos se sintam bem e sobretudo que não seja uma agressão a uma memória da cidade que a Câmara Municipal devia manter: o ‘café’ Esperança.

seta-8821466