[ Edição Nº 48 ] – Escola Superior de Educação e IEFP iniciam parceria.

0

barra-1054920 Edição Nº 48,   30-Nov.98

linha-2954233

Instituto do Emprego faz parceria com ESE de Setúbal
Para promover a valorização sócio-cultural

           A parceria entre a Escola Superior de Educação de Setúbal e o Instituto de Emprego e Formação Profissional, foi formalizada através de um protocolo assinado no dia 26 de Novembro e decorre de um conjunto de trabalhos anteriormente desenvolvidos pela ESE de Setúbal e pelo IEFP, no sentido de modernizar o sistema de aprendizagem.

          Ana Maria Bettencourt, presidente da Escola Superior de Educação de Setúbal, considera importante a assinatura do protocolo, já que vai permitir “a continuação do trabalho” em áreas que a ESE e o IEFP têm dado ‘cartas’, nos últimos anos, relacionadas com algumas mudanças verificadas no sistema de aprendizagem.

          Tudo a pensar nos milhares de jovens que abandonaram o ensino e que, numa segunda oportunidade na escola, precisam de ver adaptado e incrementado o grau de atracção dos programas e a sua própria qualidade, adiantou ao “Setúbal na Rede” a presidente da ESE de Setúbal.
          Na primeira fase, a ESE trabalhou neste programa inovador para cerca de 15 mil jovens, sendo que esta segunda fase da vertente da modernização do sistema educativo será feita a pensar em cerca de 30 mil jovens estudantes de todo o país. A ideia, segundo Ana Maria Bettencourt, passa também por “trazer o mundo à escola e debater, na aula, os problemas que afectam a Humanidade”.           Este acordo de cooperação, que pretende a restruturação dos curricula de formação da componente de Formação Sócio-Cultural do Subsistema de Aprendizagem, contempla programas para Língua e Cultura Portuguesas, Inglês, Francês, Alemão, Mundo Actual, Matemática e alguns domínios do desenvolvimento pessoal e social.           O protocolo, cuja assinatura foi presidida pelo secretário de Estado do Emprego, Paulo Pedroso, prevê ainda a criação de um dispositivo de avaliação de diagnóstico que permitam a entrada de alunos em pontos intermédios dos percursos formativos, bem como um conjunto de acções de formação de formadores sobre os novos programas.

          Satisfeita pela assinatura do protocolo, a presidente da ESE de Setúbal considera que se trata de “mais um grande desafio”, proposto à escola que nos últimos anos mais se tem destacado no ensaio das “novas pedagogias e das novas tecnologias”.

seta-1640320