[ Edição Nº 62 ] – Estudo da Universidade Nova sobre aeroporto em Rio Frio.

0
Rate this post

barra-1970817 Edição Nº 62,   08-Mar.99

linha-7741407

Aeroporto em Rio Frio é “alavanca de desenvolvimento”
Aponta o estudo da Universidade Nova de Lisboa

           No dia 2 de Março foi apresentado, em Lisboa, o Estudo-Parecer sobre o Impacte da Eventual Localização do Aeroporto em Rio Frio, levado a cabo por uma equipa de técnicos da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa e coordenado por Ferreira Mendes. Um documento que aponta para grandes benefícios, quer para o distrito quer para o Alentejo, decorrentes da implantação do empreendimento a sul do Tejo.           Considerada por todos os promotores da elaboração e apresentação oficial do estudo, como a localização certa do ponto de vista regional e dos interesses nacionais, a opção Rio Frio foi mais uma vez defendida pelo presidente da Associação de Municípios do Distrito de Setúbal, Carlos de Sousa, e pelo presidente da Associação Empresarial da Região de Setúbal, José Santos.           O raciocínio destes responsáveis que integram a Comissão Pró Aeroporto em Rio Frio, foi também seguido pelo general Lemos Ferreira, o actual dirigente deste grupo de pressão que inclui autarquias, instituições e associações de todo o sul do país.

          E esta convicção terá saído reforçada com a divulgação do resultado do estudo da Universidade Nova que, segundo o catedrático Ferreira Mendes, responsável pelo documento, “trouxe um forte contributo para a discussão da matéria”. De acordo com os dados apresentados por este responsável no encontro realizado em Lisboa, tem por linhas mestras a necessidade de “aproveitar a coerência do ordenamento do território” da área em causa, ao mesmo tempo que pretende dar um contributo para a consolidação de uma região urbana entre Lisboa e Setúbal.

          Por isso, Ferreira Mendes defendeu que o aeroporto em Rio Frio terá “um enorme impacto no ordenamento do território”, pelo que se for instalado em Rio Frio, “constituirá uma enorme alavanca e um empreendimento verdadeiramente catalisador” para que a península de Setúbal se assemelhe a Lisboa, em termos urbanos e de qualidade de vida.
          Ainda de acordo com o estudo de Ferreira Mendes, que aborda variados aspectos dos impactos da implementação do novo aeroporto em Rio Frio, os efeitos sociais e económicos, directos ou indirectos de tal infra-estrutura, “serão benéficos” para a região, para além de que, segundo indica, “tudo aponta para efeitos positivos” ao nível das estratégias nacionais para o turismo, “com vista à criação de uma ponte” entre as zonas norte e sul do Atlântico.           A divulgação deste estudo da Universidade Nova, encomendado pela Associação de Municípios do Distrito de Setúbal, levou a Lisboa dezenas de participantes oriundos de todo o sul do país, desde autarquias a associações empresariais em representação do distrito de Setúbal, do Alentejo e do Algarve.           Agora que já é do conhecimento público, o documento será um dos objectos de discussão entre o Movimento Pró Aeroporto em Rio Frio e um conjunto de entidades e governantes a quem já foram solicitadas reuniões, como é o caso da ministra do Ambiente, do secretário de Estado da Administração Local, da Junta Metropolitana de Lisboa e da Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra.

          [email protected]

seta-1724882