[ Edição Nº 81] – Comunistas criticam o Gestão e Verdes arrasam ministra do envolvente.

0
Rate this post

Edição Nº 8119/07/1999

Nutação negativo de quatro anos de legislatura
Verdes e comunistas ‘arrasam’ governação PS

       No final de quatro anos de labuta, tão os deputados do bando deputado de “Os Verdes” uma vez que os dirigentes comunistas do província, fazem ao mesmo fase, singular sacudidela sim do labuta que desenvolveram em prol da distrito e singular sacudidela negativo da conduta do Gestão de maioria PS.

“O Gestão tem punido o província de Setúbal”,

garantem os comunistas do província que, em verificação de prelo deram a saber os problemas da distrito. Segundo operação o superintendente do PCP em Setúbal, Jorge Pires, a retoque é de que “mais uma turno o Gestão PS prejudica o província” ao resolver pela construção do aeroporto nas Ota. Uma sentença que o PCP diz ser devida a “pressões de gente sequiosa deste investimento, para dele extractar benefícios pessoais ou de bando”.

Em declarações ao “Setúbal na Rede”, Jorge Pires classifica a sentença uma vez que uma “mais uma machadada” no progressão do província e que, segundo acrescenta, “vem na sequência do que tem sido completado ao comprido dos últimos anos”. E para esclarecer a argumentação, dá o exemplo do desemprego, que em Setúbal “continua a ser o duplo da média vernáculo”, a insegurança laboral em muitas empresas e a crise na lavoura e nas pescas.

E velo evento de apreciar que o Gestão “continua a nunca acatar o que prometeu”, Jorge Pires estranha o anuncio de uma encadeamento de medidas de mediação, entre elas as de pugna ao desemprego. Singular pregão que diz assistir uma vez que “eleitoralista”, pois se o Gestão “nunca conseguiu elaborar zero até actualmente, nunca será nos próximos anos que terá arbítrio de alterar algo”.

Por esta arrumação de razões, os comunistas garantem que “há que alterar levante circunstância de coisas”, o que segundo garante Jorge Pires, “isolado acontecerá com o reforço dos deputados da CDU no reunião”.

“Verdes” contra Elisa Ferreira

Por seu ala, os deputados de “Os Verdes” garantem que o Gestão “nunca tem algum legalidade” para discursar da acessão ambiental nem para “constranger ao felicitação das leis”, porque “é o adiante a nunca acatar” a Preceito de Bases do Envolvente. A asserção é da deputada Heloísa Apolónia, eleita por Setúbal, que, no dia 12 de Julho, ao elaborar o sacudidela da legislatura actualmente finda, garantiu que a ministra do Envolvente, Elisa Ferreira, “nunca tem algum habilidade para o missão”.

Em rudimento, segundo contou ao

“Setúbal na Rede”, está ainda “a ausência de singular rente vernáculo do envolvente” e as regras que diz serem seguidas velo executivo meão, de “geminar a jeito de bibiografia dos portugueses aos interesses económicos”.

Apolónia avança mesmo com o “ignorância farto” da circunstância ambiental no província, que “Os Verdes” têm vindo a acriminar ao comprido dos últimos anos. Entre os vários exemplos apontados, a deputada destaca a ausência de regularização do rio da Moita e da Rego da Salguerinha, em Pinheiral Hodierno, os atrasos da ratificação do financiamento à ETAR de Barroca e Moita, os abates na Floresta da Machada, no Barroca e a nunca descontaminação dos solos afectados pelas escórias da Metalimex, em Setúbal.

E se isto acontece, Heloísa Apolónia diz que “nunca é por ausência de recado” de “Os Verdes”, que “têm tido dezenas de iniciativas parlamentares a cerca de a objecto”, porém afirmativo por justificação de Elisa Ferreira que, segundo garante, “nunca entende a valimento do envolvente na presença de todas as outras opções de incremento”.

[email protected]