[ Edição Nº 83] – Vereadores da CDU criticam executivo da Câmara de Setúbal.

0
Rate this post

Depois de um ano e meio de Câmara PS
Vereadores CDU ‘chumbam’ executivo de Setúbal

      Uma gestão “de improviso e sem qualquer planeamento” é como os vereadores eleitos pela CDU classificam o trabalho desenvolvido pelo executivo socialista de Mata Cáceres neste mandato. Por isso, consideram que “é tempo de mudar de estratégia”, sob pena de Setúbal “ficar ainda mais descaracterizada”.

Regina Marques, Manuel Pisco e Chaleira Damas, os três vereadores da CDU na Câmara de Setúbal, fazem um balanço negativo da gestão socialista da Câmara neste último mandato. É que, segundo garantiram estes vereadores sem pelouro, em conferência de imprensa realizada no dia 30 de Julho, a gestão do município tem sido feita “de forma casuística e sem qualquer planeamento“, o que faz com que “as decisões sejam tomadas de qualquer maneira“.

Como exemplo disso, Regina Marques aponta a gestão urbanística do concelho, que “não é feita em função das pessoas mas sim do betão“. Assim, refere questões que considera importantes, como a falta de estacionamentos nos novos bairros, e a falta de equipamentos sociais e de lazer em quase toda a cidade.

Neste aspecto, o vereador Chaleira Damas chamou a atenção para o património já edificado, como é o caso dos cerca de 3 mil fogos de habitação social, onde os mais antigos “estão ao abandono“. É que, estando agora estes fogos antigos a cargo da Câmara, na sequência da passagem da habitação social do IGAPHE para as autarquias, Chaleira Damas defende que “é obrigação da Câmara mantê-los em condições de habitabilidade“. O que, segundo adianta, não acontece em muitos casos, “sendo os moradores recebidos com sete pedras na mão, quando vêm pedir obras nas casas“.

Mas, de acordo com a CDU, os problemas de Setúbal vão muito para além destas questões, uma vez que “o saneamento continua a ser um caso sério“, com esgotos a correrem a céu aberto nalgumas zonas do concelho, o abastecimento de água “falha constantemente” em muitos pontos de Setúbal “sem que se decida ver qual é o problema“, e o tratamento dos efluentes domésticos “continua á espera da ETAR que nunca mais é feita“.

Por estas razões, Manuel Pisco considera que é tempo dos setubalenses “exigirem uma melhor gestão“, até porque, segundo acrescenta, por mais que os vereadores CDU façam e argumentem,a maioria PS acaba por fazer o que lhe apetece“. E no entender da CDU, a única forma de “mudar a política da autarquia” e desenvolver o concelho em função das pessoas, é “penalizar esta gestão, através dos actos eleitorais“.