[ Edição Nº 91] – Voluntários da Cáritas de Setúbal podem ir para Timor Loro Sae.

0

Edição Nº 9127/09/1999

Pela construção de uma nação
Voluntários da Cáritas em Timor

          A Cáritas Diocesana de Setúbal poderá enviar para Timor Loro Sae alguns voluntários integrados na equipa nacional de voluntariado que dentro de cerca de 4 semanas deverá deslocar-se ao território. A novidade foi avançada ao “Setúbal na Rede” pelo presidente da Cáritas Portuguesa e da Cáritas Diocesana de Setúbal, Eugénio Fonseca, logo após o encontro que manteve, no Porto, com o bispo de Díli, Dom Ximenes Belo.

A campanha nacional de ajuda conta com diversas áreas de actuação e tem por objectivo criar uma rede de trabalho voluntário já que a rede local desapareceu com a morte dos colaboradores da Cáritas de Timor Leste às mãos das milícias. Segundo conta Eugénio Fonseca, as medidas avançadas agradaram ao bispo de Díli, que “agradeceu e incentivou o trabalho” solidário, tendo mesmo solicitado à instituição o envio de técnicos em áreas específicas como a gestão e a acção social.

No entanto, Dom Ximenes Belo alertou Eugénio Fonseca para a situação instável que se vive no território e que impede o envio da equipa de voluntários nos próximos tempos. Por isso foi decidido que, se a situação evoluir de forma positiva, a entrada da missão da Cáritas em Timor Lorosae poderá ocorrer dentro de quatro semanas.

Paralelamente, a instituição de solidariedade social desencadeou campanhas para ajudar as famílias de Timor Loro Sae e para promover a reconstrução das habitações destruídas pelas milícias, tendo para isso, aberto uma conta bancária para receber os donativos da sociedade civil. Estas duas grandes prioridades acolheram os ‘aplausos’ do administrador apostólico de Díli que, segundo revelou Eugénio Fonseca, estará muito animado em relação à construção do novo país tendo em conta a “impressionante mobilização” da sociedade civil e do Governo português.

Entretanto, as autarquias locais continuam sem vontade de desmobilizar na luta por Timor Loro Sae. Por isso, as campanhas sucedem-se em muitos dos concelhos do distrito. É o caso de Sines, onde a Câmara Municipal decidiu criar uma comissão só para a organização das iniciativas locais. Assim, segundo contou ao

“Setúbal na Rede” o responsável deste organismo, Yury Correia, a edilidade está a preparar diversas iniciativas para mobilizar a população, entre elas a utilização dos cinco outdoors do município, que deixarão de ter publicidade para receberem cartazes com a frase “Por Timor, Solidariedade”.

Em Palmela, as energias da autarquia estão centradas na recolha de fundos para a reconstrução do território, contou ao

“Setúbal na Rede” a técnica responsável pela organização desta campanha, Lina Pacheco Pereira, que realça ainda a “parceria” dos cinco órgãos de comunicação social do concelho na promoção da campanha de recolha de fundos.

Assim, o Cine Teatro São João receberá no próximo dia 1 de Outubro, um mega-espectáculo cujas receitas reverterão a favor de Timor Loro Sae. Entre as dezenas de artistas que já confirmaram presença gratuita, estão José Cid, Piedade Fernandes, Filipa Pais, Paulo de Carvalho e Anabela.

Mas as iniciativas não ficam por aqui, já que a autarquia decidiu ainda mandar fabricar e comercializar t-shirts alusivas à luta do povo timorense, cujas receitas reverterão também para a conta bancária aberta pelo município. Todos os donativos canalizados para esta conta da Caixa Geral de Depósitos serão entregues a uma das organizações portuguesas não governamentais que neste momento estão em Timor Lorosae a ajudar a população.

[email protected]