[ Edição Nº 92] – Setúbal comemorou Dia do Turismo com regresso ao passado.

0

Sob o signo dos pregões dos anos 50
Setúbal comemorou Dia Mundial do Turismo

          A Praça de Bocage foi palco para as comemorações do Dia Mundial do Turismo na cidade de Setúbal, assinalado do dia 27 de Setembro. As comemorações, a cargo do pelouro do Turismo da autarquia setubalense revestiram-se de um carácter especial, já que foram baseadas na recriação do comércio tradicional e dos pregões dos anos 50.

As comemorações foram “uma forma de homenagear o comércio tradicional” de Setúbal, cujas origens se perdem no tempo, e ao mesmo tempo chamar a atenção para a “autêntica revolução” que este sector está a sofrer através da implementação do PROCOM, Programa de Modernização do Comércio Tradicional.

É desta forma que o vereador do pelouro do Turismo da Câmara Municipal de Setúbal, Duarte Machado, justifica a escolha do tema das comemorações do Dia Mundial do Turismo, que levaram à Praça de Bocage dezenas de actores e figurantes que recriaram o ambiente comercial vivido na cidade há 50 anos atrás.

E segundo o autarca, o êxito “foi tão grande” que o próprio Teatro de Animação de Setúbal (TAS), que cedeu alguns actores para esta encenação, “decidiu fazer uma peça de teatro baseada nos pregões setubalenses”, que vão desde os dizeres sobre os benefícios da banha da cobra às frases batidas da castanha assada e do peixe fresco.

Associada ao Dia Mundial do Turismo, esteve também a realização do Festival de Artesanato, promovido pela autarquia, que começou no dia 18 de Setembro e terminou no dia 3 de Outubro a pedido dos próprios expositores. De acordo com o vereador Duarte Machado, o pedido para o prolongamento do Festival por mais um dia para além do estabelecido, deveu-se “ao assinalável êxito” da segunda edição desta iniciativa, pela primeira vez num espaço mais central da cidade.

Por essa razão, Duarte Machado garante que, para o ano, o Festival vai ser realizado novamente na placa central da Avenida Luísa Todi, e irá contar com mais artesãos do distrito. Assim, o número de pavilhões passará de 24, este ano, para 34 no próximo ano, e a aposta subirá “consideravelmente” no que diz respeito à qualidade e diversidade dos artesãos e das exposições venda dos produtos gastronómicos regionais.