[ Edição Nº 107] – “O Diário de Lina” – parte III.

0

Quero desabafar uma coisa… estou a ficar gorda! Outro dia, depois do banho, ao olhar ao espelho vi que o meu rabo parece uma casca de laranja! Reparei que estou carregada de celulite! Logo agora que estou prestes a encontrar o homem da minha vida e que preciso tanto de estar em forma.

Ontem fui almoçar com o Arlindo lá do curso. Nem te digo nada, ele é mesmo um pão, e para além do mais é delicado, sensível e inteligente. Será que é o meu príncipe encantado?

Falámos de muitos assuntos: literatura, cinema e homens. Ele queixa-se de haver poucos homens lá no nosso curso de Secretariado. Eu disse-lhe que, por outro lado, no meu trabalho na empresa de segurança existem muitos homens e ainda por cima fardados. Acho que ele interessou-se pelo assunto das fardas e por isso convidei-o para visitar-me no meu trabalho amanhã à noite no Centro Comercial, pois vou fazer o turno das 18 horas à meia-noite. Assim ele poderá conhecer os meus colegas de trabalho e, quem sabe, até poderá arranjar trabalho como vigilante. Estou tão entusiasmada com o Arlindo!

Ele deve ter ficado caidinho por mim… se assim não for, por que estará tão interessado em visitar-me amanhã à noite? Mas ele não é como os outros que ficam logo todos babados a olhar para as minhas pernas e para os meus seios com aquele ar de que estão mortinhos para… É um cavalheiro! E ainda por cima… solteiro! Não é nada como o meu vizinho Américo que, para além de ser casado, é um grande atrevido e não pára quieto com as mãos quando se encontra comigo no elevador.

Já estou a ver-me, dentro de uns anos, com o Arlindo e três filhos numa grande casa. Ele chega a casa, depois de um dia de trabalho, envergando uma bonita farda de vigilante, com o seu ar másculo e, ao mesmo tempo, delicado, pergunta-me: “Querida, já preparaste o meu fato Augustus? É que dentro de meia hora tenho uma sessão de fotografias para a revista Máxima!”. Ahhh, que delírio, que sonho!

Sabes, querido diário, tenho estado a pensar no facto de já ter 21 anos e ainda ser virgem. Sim, naquela vez com o Camané, não chegou a acontecer, porque estávamos em minha casa e entretanto a minha mãe chegou e quase nos apanhava. Tenho vontade de experimentar mas… acho que quando tiver de haver uma primeira vez tem de ser com o meu príncipe encantado, pois Deus castiga aquelas que têm intimidades sem estarem casadas. É verdade, foi assim que as freiras lá do colégio sempre me ensinaram! Posso confessar-te que houve uma colega minha que ficou grávida e o namorado já não quer vê-la!

Mas, mudando de assunto, estou a gostar de fazer os turnos de vigilância no Centro Comercial. É muito giro estar a trabalhar no meio de tanta gente. Ao Domingo então, é ver famílias inteiras, desde o avô ao neto, vestidos de fato de treino a passearem-se pelos corredores. Depois existem os homens solitários que vão para lá falar com as empregadas das lojas. Alguns dirigem-se a mim para propor-me trabalho… os coitados têm medo de estar sozinhos em casa e pedem-me para ir lá para casa para vigiar os ladrões. Dão-me cartões de visita e tudo! Já me sinto lançada como uma profissional de segurança. Começo a pensar que é melhor que a carreira de secretariado.

Até breve meu fiel diário, já estou com muito sono. Despeço-me feliz e contente por ter encontrado o meu Príncipe.

PS:

Estou tão embriagada com esta perspectiva de um novo amor que me esqueci de te dizer, meu querido diário, que o Camané telefonou-me para me dizer que tinha uma surpresa para mim. O que será a surpresa? Bolas, agora que me lembrei disto vou ficar sem sono a pensar qual será a surpresa!

Tua Lina