[ Edição Nº 116] – Zona entre Fernão Ferro e Lagoa de Albufeira intergrada na Rede Natura 2000.

0
Rate this post

Edição Nº 11620/03/2000

Rede Natura 2000 inclui distrito
Quercus satisfeita com a medida

          A segunda fase da lista de sítios a integrar na Rede Natura 2000 foi completada com a divulgação, por parte do Governo, dos 28 novos locais a proteger em Portugal. Entre eles está a zona entre Fernão Ferro e a Lagoa de Albufeira que, segundo o presidente da Quercus, Francisco Ferreira, era o único sítio que faltava classificar na região.

Desde Maio de 1997, altura em que o Ministério do Ambiente divulgou a lista dos primeiros 31 sítios naturais a preservar – e entre os quais se encontravam áreas com a da Lagoa de Santo André – que os ambientalistas esperavam a divulgação dos outros santuários da Natureza a proteger pela lei transposta das directivas comunitárias.

Uma divulgação que acabou por deixar satisfeito Francisco Ferreira, porque os mais de quatro mil hectares de terreno entre Fernão Ferro, no Seixal, e a Lagoa de Albufeira, no concelho de Sesimbra, são tidos como um santuário de 15 habitats naturais e um ‘reservatório' de espécies raras de flora e de fauna. De acordo com este responsável, esta era mesmo a área que faltava num distrito onde “tudo o que havia para classificar está agora classificado”.

Questionado pelo

“Setúbal na Rede” sobre o facto de ter sido classificada apenas uma parte da Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Caparica – que integra a zona Fernão Ferro/Lagoa de Albufeira, Francisco Ferreira esclarece que tal deveu-se ao facto de apenas essa área ser de riqueza cinegética, uma vez que “a maior parte da arriba é património geológico”.

A divulgação dos novos sítios vai levar a secretaria de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza a desencadear os contactos com os principais parceiros sociais, nomeadamente as associações ambientalistas e a Associação Nacional de Municípios Portugueses no sentido de se pronunciarem sobre o assunto.

No entanto o caso não termina por aqui, já que a lista está sujeita a consulta pública a partir desta semana e até ao dia 15 de Abril. Os documentos estarão disponíveis para consulta na sede do Instituto da Conservação da Natureza, em Lisboa, nas sedes das direcções regionais do Ambiente e nas instalações das reservas naturais dos estuários do Tejo e do Sado.

Depois disso, há ainda que implementar o plano da Rede Natura 2000, que deveria estar pronto no ano passado. Previsto para Abril deste ano, o plano tem por objectivo estabelecer o âmbito e o enquadramento das medidas referentes à conservação das espécies de fauna, flora e habitats, tendo em conta o desenvolvimento económico e social das áreas abrangidas.


[email protected]