Legislativas 2015

0

As entrevistas aos cabeças de lista pelo círculo eleitoral de Setúbal.

OUT
14
0
Jogos do Futuro 2016
As crónica de Ivo Quendera
Em 2016 realiza-se a maior manifestação desportiva no mundo: Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro! Para além de serem eventos multidesportivos (e os quais na minha opinião não se podem dissociar por questões éticas), congregam vinte e oito modalidades desportivas olímpicas e vinte e cinco paralímpicas, e para as quais são esperados…
Ler crónica

SET
16
0
Um Plano Estratégico para a Náutica na Península de Setúbal
As crónica de Ivo Quendera
Num artigo que escrevi em 2013, destaquei os três mil quilómetros de costa e as centenas de rios e planos de água existentes no território nacional, como palco de variadas manifestações desportivas, e nas quais enunciava o trabalho do movimento associativo desportivo, em estreita ligação com as várias federações desportivas e os organismos governamentais. Porém,…
Ler crónica

AGO
27
0
Pão sem sardinha
As crónica de Carlos Macedo
Neste ano, a sardinha tem sido um tema recorrente nesta minha coluna, mas pela sua importância para a comunidade piscatória nacional, não podia ser de outra maneira. Até porque a forma como o assunto tem sido tratado é sintomático da forma como a pesca tem sido tratada pela actual tutela do Mar. Por estes dias…
Ler crónica

AGO
19
0
Segurança e prevenção nas modalidades náuticas
As crónica de Ivo Quendera
No seguimento do artigo anterior, e uma vez que os meses de verão e de época balnear “adoçam” o gosto e a oportunidade para a prática e experiência de modalidades náuticas, sejam elas em contexto de praia, rio ou outros, a segurança e prevenção é hoje um dos temas mais abordados e importantes. É certo…
Ler crónica

AGO
03
0
A Nova Batalha de Alcântara
As crónica de Carlos Macedo
Em 1580 o duque de Alba (Fernando Álvarez de Toledo y Pimentel) atravessa a fronteira no Caia e chega doze dias depois a Setúbal. Decidido a dominar Lisboa, o duque esperou a chegada da armada vinda de Cádis que fundeou em Cascais, localidade que se rendeu, seguida das fortalezas de São Julião, de Belém e…
Ler crónica

JUL
22
0
A Formação dos vários agentes das modalidades náuticas
As crónica de Ivo Quendera
Embora não existam estatísticas oficiais sobre a percentagem de acidentes ocorridos durante a prática de atividades náuticas, estes acontecem. Porém, cabe aos meios de comunicação e aos meios de fiscalização, clarificarem a realidades dos factos e acontecimentos, não deixando o público em geral cair em mitos e realidades desvirtuadas do nosso país, e da situação…
Ler crónica

JUL
01
0
Calma Podre
As crónica de Carlos Macedo
Este termo tão usado em Sesimbra e Setúbal, serve normalmente para caracterizar situações de grande acalmia no mar. No entanto, pode também ser utilizada para caracterizar uma situação aparentemente calma, mas cínica e com uma omissa tensão latente. Provavelmente, estamos a viver um dos períodos mais difíceis da pesca nacional desde a existem de democracia.…
Ler crónica

JUN
24
0
Mar e Rio: O futuro dos Municípios na Península de Setúbal
As crónica de Ivo Quendera
Afastando a “névoa política” e os jogos de poder exercidos pelas manobras populares das campanhas partidárias, Portugal tenta assumir e preservar a sua relação indissociável com o mar, apostando numa sociedade conhecedora do mar e das artes náuticas, usando elementos de identificação que reflita a imaginação e o progresso nacional. Os resultados da Expo’98 e…
Ler crónica

MAI
27
0
III Edição do “Pirilampo Náutico”
As crónica de Ivo Quendera
O mês de maio é por tradição o mês do lançamento da Campanha do Pirilampo Mágico. 2015 não é um ano de exceção e durante este mês a Federação Nacional de Cooperativas de Solidariedade Social, mais conhecida como FENACERCI, envolve as suas associadas num verdadeiro solidariedade social, cooperação e colaboração, entre uma rede de parceiros…
Ler crónica

MAI
06
1
Tanto esforço para quê?
As crónica de Carlos Macedo
Em recente entrevista à “Revista de Marinha”, o Secretário de Estado do Mar apelou à união das Organizações de Produtores (OPs). Fê-lo num discurso forte e congregador, destacando a importância do sector das Pescas em Portugal. Terminava, esse mesmo texto, dizendo: “temos de valorizar o trabalho sério e competente dos nossos pescadores e armadores (…)…
Ler crónica

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui