CONECTARTE – FIGURAS

0
Rate this post

 

Espécie de Robin dos Bosques português, diz a lenda que roubava dos ricos para dar aos pobres.

Ao contrário do Robin da lenda, Zé do telhado foi uma figura bem real, de seu nome José Teixeira da Silva, nascido em 1818, em Paredes.

A sua alcunha não lhe adveio de assaltar as casas pelo telhado ou de serem os telhados o caminho para a fuga à polícia. Ficou assim conhecido porque nasceu numa casa coberta de telhas, ao contrário das casas da vizinhança, que usavam palha.

Fez  “a tropa” em Lisboa onde se destacou pela sua valentia. Em 1837 casa com sua prima Aninhas. Em 1846 participou na Revolta da Maria da Fonte, pelas forças populares. Lutou pelos setembristas como ordenança do Visconde de Sá da Bandeira contra as forças cabralistas, salvando a vida do visconde e recebendo a medalha da Torre e Espada.
     Em 1847, com o fim da guerra civil, volta para casa, em má situação financeira. Não arranjando ocupação acaba por se juntar à quadrilha do irmão, que actuava em vários concelhos, inclusive o de Baião. Perseguido pela lei, foge para o Brasil em 1850. Retornou depois a Portugal e tornou-se ele mesmo o líder de uma quadrilha que tinha na sua filosofia evitar o derramamento de sangue, o respeito para com as mulheres e a doação de uma fracção do que era saqueado para os pobres. A lei vai aumentando o cerco e ele tenta fugir para o Brasil, clandestinamente, em 1859. É capturado já dentro do navio.

Aguardou o julgamento na Cadeia da relação no Porto onde contactou com Camilo Castelo Branco, também preso, a quem relatou suas aventuras, que mais tarde foram reveladas no livro “Memórias do Cárcere”.
    Em 1861 é condenado e mandado para Angola para cumprir pena perpétua trabalhando. Nunca mais regressou pois lá morreu em 1875, deixando em Portugal a viúva e filhos na pobreza.
   

 A seu respeito foram escritas várias publicações e feito um filme.