[Setúbal na Rede] – Artigos – Listagem de Artigos

0

avs

foto752-6447657

Joaquina Soares
(Directora do MAEDS)

“Acabem com esta crise já” foi a frase lapidar que Paul Krugman, prémio nobel da economia em 2008, imperativamente, e em vão, dirigiu recentemente aos governantes portugueses.

(25-09-2013 09:21)

Quando se fala em património há uma geral tendência para pensar em bens edificados, os chamados monumentos glorificadores de reis e batalhas, de feitos míticos ou outros, inspirados por lideranças mais ou menos divinizadas. É-me então irresistível perguntar como Bertold Brecht: Quem construiu Tebas a das sete portas? Não foram certamente os reis cuja memória a História reteve em seus anais de poeira, mas os exércitos de escravos, que Verdi imortalizou na eternidade da música.

(31-07-2013 14:49)

O Conselho Internacional de Museus da UNESCO dedica o Dia Internacional dos Museus de 2013 à mudança social que decorre do casamento feliz da Memória com a Criatividade.

(08-05-2013 14:48)

Em 2013, o Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal (MAEDS) assinalará o já tradicional Março-Mulher com uma exposição dedicada exclusivamente à obra gráfica de uma das mais importantes gravadoras portuguesas contemporâneas.

(16-01-2013 10:18)

Na era da compressão espacio-temporal, ou da globalização, adquire-se uma mais nítida consciência da importância da diversidade, ou melhor, da sociodiversidade. O interesse pelas identidades, sejam elas de escala comunitária ou regional, actuais ou passadas, reacendeu-se, com o reconhecimento do imprescindível contributo do registo etno-sociológico.

(21-11-2012 09:47)

Decorridos cerca de trinta anos sobre uma agitada visita a Mértola, onde fomos recebidos pela Autarquia e pelo emergente Campo Arqueológico de Mértola, no âmbito de um Congresso de Arqueologia, tivemos oportunidade de revisitar tranquilamente, em um fim-de-semana de agosto último, esse importante porto fluvial da Antiguidade, verdadeira porta do Alentejo interior para a civilização mediterrânea.

(26-09-2012 10:05)

… pois o Zeca não deixaria de marcar presença na luta contra os que não hesitam em abdicar da nossa soberania e docilmente se subjugam aos interesses do grande capital nacional e estrangeiro”.

(11-04-2012 09:49)

Disse-me um dia um saudoso amigo, positivista e de irrepreensível pensamento lógico, que qualquer variável qualitativa poderia ser quantificada e usava como exemplo, não isento de ironia, o da beleza de Helena de Tróia cifrada em homens, armas e barcos. Também o património cultural imaterial da Humanidade é hoje tão real e objectivo quanto os patrimónios cultural material e natural. As teorias da conservação do património cultural iniciaram um caminho persistente, sem quebras de energia, no século XIX, assentes no ideário romântico e na existência física de marcas memorialistas do percurso histórico da Humanidade. Farol no tumultuoso mar da aventura humana e no nevoeiro do esquecimento, esse património construído possui nas origens uma marca fortemente urbana, selectiva e erudita. Este conceito restrito foi-se progressivamente alargando na temática, na geografia e na base de apoio popular.

(10-11-2011 10:48)

A sessão SYNAPSIS-MAEDS imediatamente anterior ao período de férias, no dia 8 de Julho, orientada por António Marrachinho (poesia) e Mafalda Pires da Silva (imagens), intitulada “Alegorias para Despertar” partia de uma interrogação. Qual o 5º elemento a juntar aos que tradicionalmente são aceites como constitutivos do pequeno planeta que habitamos (água, ar, fogo, terra), e do imenso universo que a nossa espécie foi construindo?

(31-08-2011 10:01)

O conceito de património enquanto interlocutor privilegiado com o Passado, ou seja, enquanto garantia de continuidade e de sucesso do Presente, é intrínseco ao “ser social”, e, por isso, inquestionável factor de coesão. O património cultural constitui, metaforicamente, o “genoma” das comunidades humanas. Código da vida colectiva. Tal como as restantes componentes da vida social, transforma-se, reinterpreta-se e recria-se.

(06-07-2011 15:45)

O turismo é consensualmente considerado um sector económico estratégico para a região de Setúbal, face ao seu excepcional enquadramento ambiental e também cultural. Limitada por dois importantes estuários da costa atlântica europeia, a nossa região possui uma História e Pré-história marcadas pela sábia utilização dessa localização geo-económica. Aprofundar o conhecimento da vocação ribeirinha e oceânica deve ser, pois, um desafio ao serviço da criação de novas formas de sustentabilidade. Valorizar esse património e discuti-lo, trazendo para o debate investigadores de regiões que oferecem similitudes com a nossa, é também promover o turismo de congressos. Se a Conferência Internacional sobre a Pré-história das Zonas Húmidas for participada pela população local e pelos seus agentes sociais o esforço de organização será sem dúvida muito ampliado. Para obter toda a informação não hesite em visitar o site deste evento, www.prehistoryofwetlands.com.

(13-04-2011 09:51)

O Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal (MAEDS) inicia o seu programa de actividades culturais de 2011 sob o lema cultura em rede/ cultura sem rede. Uma ideia-chave estrutura o evento que irá ter lugar no serão de sexta-feira, dia 28 de Janeiro: no sector cultural, tanto no domínio do património, como na área da criação artística ou científica, é fundamental trabalhar em parceria, não só com o objectivo de combater o desperdício de recursos, como também com o propósito de produzir inovação, qualidade e ousadia. O trabalho em rede cria o seu próprio “capital de risco”, alarga públicos, e aumenta a participação e interacção social.

(19-01-2011 17:07)