[ Dia 26-02-2001 ] – Nuno Marta venceu a Clássica de Setúbal.

0

Nuno Marta venceu a Clássica de Setúbal

Nuno Marta, da Porta da Ravessa, soma e segue nas vitórias de duas rodas. O atleta venceu, ao sprint a quarta prova  da Taça Nacional de Clássicas que no domingo se disputou entre Setúbal e Setúbal, com passagem pelo concelho de Palmela, numa distância de 162,1 km. Na chegada a Setúbal, depois de mais de três horas de corrida quase sempre num  pelotão compacto a imprimir uma ‘pedalada’ de cerca de 42 quilómetros por hora, Nuno Marta sagrou-se campeão, depois de, no dia anterior, ter arrebatado o primeiro lugar na terceira prova, a Clássica do Seixal.

O segundo corredor a cortar a meta foi Pedro Soeiro, da Carvalhelhos/Boavista, e o terceiro foi o espanhol Óscar Serrano, da Bardot/Torrie. Oito equipas e 65 ciclistas alinharam nesta prova promovida pela PAD/Produções de Actividades Desportivas, sendo que, desta vez, a LA-Pecol  apresentou apenas três corredores pelo facto de os restantes estarem em Espanha, em competição.

Pedro Martins continua na posse da camisola amarela nas Clássicas, depois de terminar em 7º lugar na prova de Setúbal. Da disputa, Pedro Martins admite ter visto “uma situação complicada” mas mesmo assim, afirma-se satisfeito pois conseguiu manter as posições conquistadas anteriormente. Na geral das clássicas, Pedro Martins tem  agora 17 pontos, seguido de Marta com 20 pontos e de Pedro Soeiro com 22. Por equipas, a liderança está nas mãos da Carvalhelhos/Boavista.

Com esta quarta vitória, o ciclista da Porta da Ravessa diz-se “muito satisfeito”, pois era algo que esperava na sequência das pedaladas imprimidas ao longo das últimas provas.

Mas apesar de não se ter surpreendido sobremaneira com a vitória ao sprint, sempre foi admitindo as dificuldades impostas por um pelotão bastante aguerrido, que deu luta desde o primeiro minuto da partida até ao cortar da meta no Largo de Jesus.

Um ritmo forte ajudado pelo bom tempo e pelo bom piso, adianto fonte da organização da prova que refere serem estes dos elementos mais importantes para “um bom andamento”. Daí as diversas tentativas de fuga, embora os homens da Gresco/Tavira e da Carvalhelhos/Boavista “não tenham permitido grandes veleidades”. 

Contada entre fugas e respostas imediatas, o controlo da corrida pertenceu invariavelmente aos homens do Porta da Ravessa e do Gresco/Tavira. As largas centenas de adeptos das duas rodas que assistiram à prova puderam observar uma corrida com estilo e classe profissional, tendo Nuno Marta conseguido a vitória com 3h,46m,59s.