[ Dia 31-05-2002 ] – Época balnear ‘fecha’ Albarquel e dá mais bandeiras azuis.

0

Época balnear ‘fecha’ Albarquel e
dá mais bandeiras azuis

A época balnear começa amanhã, dia 1 de Junho, com mais praias vigiadas e mais bandeiras azuis, nomeadamente nas praias de Almada e na zona balnear do litoral alentejano. As grandes excepções são a praia de Albarquel, em Setúbal, e a Lagoa de Santo André, em Santiago do Cacém. A primeira porque tem água de má qualidade e a segunda porque não apresenta condições de apoio.

Enquanto as praias da Costa da Caparica e da Fonte da Telha vão contar com mais qualidade, nomeadamente na área da vigilância, e o litoral alentejano espera mais três bandeiras azuis – a atribuir no próximo dia 5 pela Associação da Bandeira Azul da Europa -, nomeadamente em Melides, Comporta e Carvalhal, Setúbal continua a ‘ver navios’ e vai passar mais um ano sem um único símbolo de qualidade.

Ainda não é desta que o símbolo europeu chega às praias da Arrábida, nomeadamente a Albarquel, e a principal razão é o atraso na colocação em funcionamento da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) da Cachofarra. O vereador do Ambiente, André Martins, afirma que, para concorrer à Bandeira Azul era preciso que a praia estivesse despoluida e com equipamentos à altura. E a operação teria de começar “pela despoluição das águas do estuário do Sado e a reabilitação da praia de Albarquel”, há dois anos fechada a banhos devido à má qualidade da água, provocada pela descarga dos esgotos da cidade não tratados.

Uma realidade prevista agora para o final deste ano, altura em que a Câmara espera pôr em funcionamento o sistema de tratamento dos esgotos. Só depois disso é que será possível ajudar na despoluição do estuário do Sado, acrescenta. Com a reabertura da praia de Albarquel adiada para 2003, os concessionários admitem que o negócio deixou de ser lucrativo. Jaime Reis, anteriormente responsável pela vigilância, confessou ao “Setúbal na Rede” estar apreensivo embora admita que este ano os veraneantes “estão a aparecer em maior número”. Um fenómeno que diz compreender, pois a praia “não tem sujidade visível”. Minimizando o resultado das análises que deram a água como de má qualidade, não entende a decisão da APSS, Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, de indeferir o pedido de colocação de toldos na praia.

O caso da Albarquel não é o único no distrito, uma vez que, à semelhança do ano anterior, praia da Lagoa de Santo André, em Santiago do Cacém, também recebeu parecer negativo devido à falta de qualidade da areia e ausência dos chamados apoios de praia. A nível nacional, a época balnear abre com 14 praias interditadas e dez com água de má qualidade. Pela primeira vez, as praias onde é recomendada a prática de banhos vão ter afixado o aviso “Água com qualidade compatível com a prática de banhos”. seta-5618899