[ Dia 03-06-2002 ] – Seixal e Barreirense fecham época a ganhar.

0

Das três equipas do distrito que disputam a Zona Sul da II Divisão B, só o Amora perdeu na última jornada, 2-0 em casa do Câmara de Lobos, já que o conjunto seixalense venceu o Louletano, por 1-0, e os barreirenses derrotaram o Padernense, por 3-2. Feitas as contas do campeonato, o Seixal termina em quarto lugar, o Barreirense em sétimo e o Amora em 11º.

O Seixal e o Barreirense fecharam a época a ganhar e, na última jornada da Zona Sul da II Divisão B, venceram o Louletano (1-0) e o Padernense (3-2), respectivamente. Menos sorte teve o Amora, que perdeu no terreno do Câmara de Lobos, por 2-0.

No jogo disputado no Estádio do Bravo, o conjunto seixalense confirmou a excelente recuperação que vinha efectuando desde da chegada do treinador José Rachão e entrou em campo ao ataque. Durante os 90 minutos, o domínio do Seixal foi claro e, logo aos 19 minutos, Pedro Pereira I abriu o marcador na transformação de uma grande penalidade, assinalada pelo árbitro Nuno Afonso.

Depois do golo o Louletano, também ela uma equipa tranquila quanto a subidas e descidas de divisão, tentou equilibrar o encontro, mas apenas o conseguiu a espaços. O Seixal revelou-se sempre mais perigoso, principalmente até aos 70 minutos, em que teve em campo um trio de avançados composto por Xarila, Sandro e Cris Baiano.

Mas, apesar do empenhamento dos jogadores, até final, nenhuma das equipas conseguiu voltar a marcar. No fim da partida, dirigentes, técnicos e jogadores do Seixal estavam “radiantes”, não só com a vitória, mas sobretudo, com o quinto lugar conseguido no campeonato, que, mais tarde, viria a revelar-se uma quarta posição, já que  o Estoril, equipa que terminou também a época com 59 pontos, está em desvantagem relativamente ao Seixal, que, recorde-se, goleou os estorilistas no Bravo, por 6-0.

Quem também fechou a temporada a ganhar foi o Barreirense, que derrotou em casa o Padernense. A equipa do Barreiro entrou de rompante no jogo e, aos 24 minutos, inaugurou o marcador por Monzelo. Se nesta altura o domínio barreirense já era claro, a partir deste momento acentuou-se mais ainda. Por isso, foi com naturalidade que, aos 34 minutos, Chevela aumentou a contagem para 2-0. O Barreirense parecia imparável e nem o intervalo fez abrandar os jogadores da casa, que subiram a vantagem para 3-0, aos 65 minutos. Fredy foi o autor do golo.

No entanto, quando o jogo parecia decidido e condenado a ficar desinteressante, o avançado Marco, com a ajuda da defesa do Barreirense, quase deu a volta ao encontro. Em cinco minutos (67’ e 72’) o ponta-de-lança do Padernense, já condenado à descida de divisão, marcou dois golos e esteve em mais dois ou três boas jogadas de ataque da sua equipa.

O Barreirense, porém, recuperou a concentração e conseguiu manter a vantagem até final. Com este resultado, a equipa do Barreiro consegue o sétimo lugar, com 52 pontos, fechando em alta uma época que ficou muito aquém das expectativas e objectivos propostos pelo clube.

Um trajecto inverso fez o Amora. Depois de uma primeira volta e início de segunda fulgurantes, a equipa amorense quebrou e não mais parou de cair na tabela classificativa. Na última jornada somou nova derrota, desta vez no terreno do Câmara de Lobos – que estava obrigado a vencer para evitar, para já, a despromoção -, terminando a temporada num 11º lugar, 48 pontos, a pior classificação que a equipa teve neste campeonato.

Contas feitas à Zona Sul da II Divisão B, a União da Madeira é o grande campeão e a equipa que na próxima época disputará a II Liga. No lado oposto da classificação, o Padernense, que juntamente com o Machico, o Atlético e o Benfica B descem à III Divisão. Destino que o Câmara de Lobos vai tentar evitar na ‘poule’ que irá disputar com os 16ºs classificados da Zona Norte (Vila Real) e Zona Centro (U. Coimbra).  seta-7393437