[ Dia 21-10-2003 ] – ASSENTO PARLAMENTAR por Alberto Antunes (PS).

0
Rate this post

ASSENTO PARLAMENTAR
por Alberto Antunes
(Deputado do PS eleito pelo distrito de Setúbal)
 

Setúbal e o País

Foi apresentado, na Assembleia da República, para discussão e votação o OE para 2004. O país e o distrito estão, agora, em condições de avaliar o que os espera nos próximos tempos. Mas este orçamento, que corta cegamente no investimento público e não apresenta medidas activas de combate ao desemprego, insere-se num quadro social e num ambiente de profunda depressão.

As instituições e os pilares da democracia encontram-se séria e gravemente abalados.

Somos hoje notícia, no estrangeiro, pelos piores motivos.

Por tudo isto torna-se imperiosa uma reflexão serena e profunda sobre o nosso futuro próximo.

Existem, hoje, indícios claros de uma acentuada crise de valores e o abandono de princípios éticos indispensáveis ao desenvolvimento e progresso do país.

A justiça vive momentos conturbados.

E aqueles que julgam tratar-se de um mero conflito entre esta e o maior partido da oposição, poderão vir a ser desagradavelmente surpreendidos num futuro mais ou menos próximo.

Mas retomemos o orçamento e as suas incidências no distrito.

Foram definitivamente congelados todos os projectos estruturantes para o distrito que ainda não se tinham iniciado.

  • Cancelou-se a 3ª travessia
  • Desapareceu a Escola de Hotelaria e Turismo.

Aliás parece terem-se trocado as águas furtadas onde funcionava a secção da Escola de Lisboa por duas salas num r/c de um prédio, no Bonfim, com o aval da Câmara Municipal de Setúbal. Para quem conhece as instalações da escola do Estoril ou do Algarve, por exemplo, poderá avaliar o tratamento que Setúbal está a ter por parte do actual governo.

  • A pousada do Cabo Espichel esfumou-se
  • O Plano de Reconversão da parte velha do Hospital de S. Bernardo foi interrompido
  • A ampliação da urgência do Hospital Garcia da Orta, apesar de prometida com pompa e circunstância, parece ter desaparecido do PIDDAC
  • O Polis da Costa da Caparica e Setúbal nunca mais iniciam.
  • A decisão de atribuir a concessão do terminal multiusos de Setúbal nunca mais vê a luz do dia.
  • O terminal XXI de Sines está às moscas.

Para disfarçar os investimentos, no Distrito, é necessário continuar a atribuir-se ao distrito os investimentos destinados à melhoria e electrificação da linha ferroviária Lisboa-Algarve e os investimentos realizados na aquisição de equipamento destinado à Base Naval do Alfeite.

Não são, assim, optimistas as perspectivas do distrito de Setúbal para o próximo ano.

Não só o país se atrasa, relativamente aos restantes países da União Europeia, ao contrário do que haviam prometido na campanha eleitoral, como inclusivamente, o distrito se vai distanciando dos níveis de crescimento da margem norte do Tejo.

Daí o ambiente sombrio e carregado com que os habitantes do distrito de Setúbal encaram o seu futuro. seta-7378060