[ Dia 17-12-2003 ] – À Flor da Relva por Paulo Sérgio

0

À FLOR DA RELVA
por Paulo Sérgio
(jornalista da Sport TV)
 

Com um golo no último minuto se ganha. Com um golo no último minuto se perde. Depois de há quinze dias os adeptos sadinos terem conhecido a primeira face desta moeda. Esta semana foi a vez de conhecerem a outra face. Confesso, no entanto, que em termos de sabor a coisa é mesmo muito diferente. Como é fácil de perceber.

Tal como tinha acontecido no jogo com o Estoril. O Vitória de Setúbal acabou por justificar plenamente os 3 pontos da vitória. A equipa de Carlos Carvalhal foi a melhor e dispôs das melhores oportunidades para derrotar o Salgueiros que, quando se viu a perder, partiu o jogo e soube colocar em campo quatro avançados. O que convenhamos é coisa que não está ao alcance de muitas equipas. Por outras palavras, só mesmo um candidato à subida estaria em condições de o fazer. O que é de aplaudir.

O jogo de sábado, no estádio do Bonfim, para além de ter voltado a provar que o Vitória de Setúbal é a melhor equipa da Liga de Honra. Demonstrou ainda, para quem tivesse algumas dúvidas, que Jorginho é um craque e que, felizmente para os sadinos, é um atleta que faz toda a diferença. Só um jogador de enorme classe e de grande nível poderia ter feito aquilo que ele fez nos últimos instantes do jogo e da maneira como o fez. Para mim não há, em Portugal, muitos jogadores que tenham a qualidade do brasileiro. E por isso espanta-me que nenhum dos chamados clubes grandes não olhe para ele com outros olhos. Mas isso é um dos muitos enigmas do nosso futebol. E como todos os enigmas são quase sempre inexplicáveis.

Com esta vitória e porque os setubalenses não jogam sozinhos, coisa que por vezes esquecemos, a equipa já está em posição de subida. Ou seja nos primeiros três lugares da classificação. Mas isso, em boa verdade, pouco importa. O importante mesmo é que essa posição seja ocupada na última jornada do campeonato. O que eu acredito, cada vez mais, que vai acontecer.

No domingo, na Covilhã, os setubalenses tem mais um importante teste nesta luta pela subida de divisão. Quem olha apenas para a classificação dos serranos não acredita que seja possível à equipa de Carvalhal perder pontos. O problema é que é por vezes nestas deslocações que as coisas costumam complicar-se. Seja por desleixo da equipa mais forte. Seja porque a equipa mais fraca se agiganta. Dai que todos os cuidados sejam poucos.

PS – Esta quarta-feira, no Alvalade XXI, Vitória e Sporting reeditam, na Taça de Portugal, os grandes duelos de outros tempos. É certo que os leões são favoritos. Mas como já avisou o seu treinador, o Vitória de Setúbal não é nenhum grupo excursionista.