[ Dia 10-02-2004 ] – PS critica gestão urbanística no Penteado.

0
Rate this post

PS critica gestão urbanística no Penteado

A presidente da Comissão Política da Moita do PS, Eurídice Pereira, acusa a Câmara da Moita de não “ter consistência urbanística” no Penteado. Numa visita à freguesia, a comissão verificou que “os habitantes não usufruem dos equipamentos mais elementares como, por exemplo, o saneamento básico”. Além disso, constroem-se lotes “sem que se invista em infra-estruturas”.

Desde há seis anos que “a execução das redes de saneamento básico tem vindo a ser adiada” pela gestão camarária. Todos os anos, o executivo contempla uma verba em orçamento, mas “a obra acaba sempre por ficar para o ano seguinte”. Além disso, a verba varia de ano para ano, o que levanta a “suspeita de não existirem estudos que indiquem o que é necessário fazer”.

Os socialistas acusam ainda o executivo camarário de ter “perdido a oportunidade de criar a rede com fundos comunitários”. Assim, 75% do capital necessário seria entregue a fundo perdido. Contudo, o actual quadro comunitário já não contempla Lisboa e Vale do Tejo. Ou seja, “a câmara vai ter de fazer um investimento integral”.

Eurídice Pereira reclama ainda a construção de um depósito elevado de água, “prometido sucessivamente pela CDU”, em diversos actos eleitorais. Isto porque o abastecimento de água tem “quebras”. A construção de uma passagem desnivelada também ainda não andou para a frente, apesar de João Lobo, presidente da Câmara da Moita, “ter garantido que em 2002 resolvia a situação com a Refer”.

A ausência de tratamentos nos arruamentos, os pavimentos degradados, e os passeios inacabados também receberam críticas. No Penteado encontram-se ruas totalmente urbanizadas, mas as “pessoas têm de andar por pisos de terra batida”, que no Inverno se transformam em lamaçais. Segundo o PS, o Bairro Operário é o maior, mais povoado e, também, “com mais problemas”.

Os terrenos camarários junto ao Clube Recreativo do Penteado ainda “não têm uma finalidade definida”. Para os socialistas, estes terrenos “podem servir para criar lugares de estacionamento e uma estrada que faça a ligação ao Bairro Vila Morena”. Há ainda espaço para locais de lazer como, por exemplo, “um jardim urbano”.

O “Setúbal na Rede” tentou contactar o presidente da Câmara Municipal da Moita, João Lobo, mas uma fonte da autarquia disse ao nosso jornal que a Câmara da Moita “não comenta comunicados de força política”seta-3561052