[ Dia 09-07-2004 ] – Vida de Alfredo da Silva recordada em livro.

0

Português Suave é um nome a que os fumadores portugueses já se habituaram. Contudo, poucos sabem que foi Alfredo da Silva quem inventou a designação, “inspirado na alcunha que tinha dado ao cunhado”. Este e outros pormenores são agora dados a conhecer pela Biografia de Alfredo da Silva de Miguel de Faria. A obra foi, ontem, apresentada no Barreiro e o autor constata que os barreirenses “dão um apoio consensual a esta figura da história da indústria portuguesa”.

O nome de Alfredo da Silva “está muito ligado à história da CUF”. No entanto, este industrial “foi inovador em outras empresas”. No final dos anos 20, o então ministro das finanças, Oliveira Salazar, abre o monopólio do tabaco em Portugal, e Alfredo da Silva forma a Tabaqueira. Inspirado no seu quotidiano cria as marcas SG. Miguel Faria sublinha que muitos portugueses “não sabem que a sigla significa Sociedade Geral”.

“Não é fácil fazer a biografia profissional, sem de falar do homem”. Alfredo da Silva “possuía as características dos empreendedores”. Pelos testemunhos recolhidos pelo autor, Alfredo da silva “gostava de correr riscos, era um homem de visão, com uma força e vontade férrea”. Talvez por isso tenha sido “decisivo” na modernização da Carris. Miguel de Faria adianta que “os jovens não conhecem esta figura” e que, por isso, “teve a ideia de fazer esta biografia”.

Apesar do desconhecimento nesta faixa etária, “as pessoas do Barreiro estão familiarizadas com o trabalho do industrial”. O reconhecimento é “notório” já que existe um estádio com o nome Alfredo da Silva, uma estátua e uma rua. Dentro da Quimiparque as manifestações de apreço “multiplicam-se”. O Mausoléu e a Casa-Museu Alfredo da Silva são disso exemplo.

A biografia “é uma aproximação à personalidade do empresário”, de forma “a não resumir a história aos episódios que concederam notoriedade” a Alfredo da Silva. Para o efeito, o autor fala dos antepassados do industrial para “dar a conhecer o ambiente em que nasceu e foi criado”. O fundador da CUF vem de uma família “de comerciantes ricos da Baixa”. Assim, “é possível entender a herança paternal” no início da actividade empresarial.

Alfredo Silva é considerado por muitos como o grande industrial português do início do século, sendo a CUF a sua obra mais conhecida. Isto porque, em 1908, sob o impulso de Alfredo da Silva, é inaugurada a primeira fábrica da CUF, no Barreiro. Contudo este industrial é o responsável pela fundação do Grupo Mello, que começou com o Estaleiro da rocha do Conde de Óbidos onde se viria a formar a Lisnave.