[ Dia 22-09-2004 ] – Fernando Negrão preocupado com condições dos centros de dia.

0
Rate this post

Fernando Negrão preocupado com condições
dos centros de dia

O ministro da Segurança Social, da Família e da Criança, Fernando Negrão, está “preocupado” com as condições dos centros de dia que, para além de acolherem idosos, também trabalham com crianças. Para o ministro, “não chega ter boas condições nas instalações”, como também “é necessário” que as pessoas que acompanham os utentes “tenham maior sensibilidade” para saberem trabalhar com eles. As preocupações de Fernando Negrão foram manifestadas numa visita, ontem, à residência de Idosos do Centro Paroquial da Cova da Piedade, em Almada.

O governante diz que o ministério, que agora está a seu cargo, “se deveria chamar Ministério da Segurança Social e dos Afectos”, devido ao tipo de trabalho que é feito nos centros de dia. O ministro defende que nestes locais “tem que existir uma grande proximidade” das pessoas com os idosos e as crianças. O responsável alerta também para a importância de “pensar em todas as pessoas que necessitam de um centro de dia e não conseguem”.

Em relação ao Centro Paroquial da Cova da Piedade, o ministro elogiou as instalações e considera que estas “não são de luxo, mas são óptimas”. Além disso, “existe um afecto profundo” entre as pessoas. Fernando Negrão diz que “é preciso existir uma boa articulação” entre a Câmara Municipal de Almada, o Governo Civil de Setúbal e o Poder Central. O trabalho de parceria é importante, pois de outra forma “os caminhos podem dispersar-se”. Fernando Negrão sentiu que “Almada é uma grande comunidade” e “um lugar privilegiado”.

Para a presidente da Câmara Municipal de Almada, Maria Emília de Sousa, o Centro Paroquial da Cova da Piedade “é uma instituição de referência do concelho” e “dar continuidade a mais projectos como este”. A comunidade católica também “é bastante eficiente”, refere a autarca que destaca a figura do padre Ricardo Gameiro que “tem sido extraordinário na luta por este centro”.

Maria Emília de Sousa está consciente que o concelho “tem muitas necessidades”, mas também há “muita força de vontade” para que surjam mais centros como este e que tenham “êxito”. A autarca revelou ao ministro que o facto de o Governo incluir obras em PIDDAC “não significa ter tudo logo feito com rapidez”. O Governo precisa “conhecer os problemas e ajudar no planeamento”, para além de “saber quais as potencialidades que estão no terreno”.

O responsável pelo Centro Paroquial da Cova da Piedade, o padre Ricardo Gameiro, apelou ao ministro para a necessidade de se “construir uma sala de convívio para 50 utentes”, que “já está prometida há algum tempo”. Além disso, considera necessária a construção de duas salas para o pré-escolar no bairro que “é uma das zonas mais pobres de Almada”. Por fim, salienta “a falta de equipamentos no Centro Infantil da Romeira”. seta-5607549