[ Dia 23-09-2004 ] – TST aumenta carreiras para Escola Dom Manuel Martins.

0
Rate this post

TST aumenta carreiras
para Escola Dom Manuel Martins

A empresa Transportes Sul do Tejo (TST) reforçou as carreiras de e para a Escola Dom Manuel Martins, nas Manteigadas. A solução surge depois do conselho executivo (CE) da escola ter contestado “o grande desfasamento” entre as entradas e saídas da escola e as chegadas e partidas dos autocarros. O presidente do CE, António Pina, revela ao “Setúbal na Rede” que as entidades envolvidas, a empresa TST e a Câmara de Setúbal, sentiram-se “incomodadas” com o comunicado que foi enviado à comunicação social.

Foi ontem, numa reunião extraordinária entre a Divisão de Educação da Câmara Municipal de Setúbal, os Transportes do Sul do Tejo (TST) e a Escola Secundária Dom Manuel Martins, que se acordou “definitivamente” os horários dos autocarros para a escola, durante o período de aulas. António Pina revela ao “Setúbal na Rede” que estas entidades sentiram-se “pressionadas” pelo envio de um comunicado aos órgãos de comunicação social a explicar a necessidade de se encontrar uma solução para o problema das acessibilidades à escola.

António Pina explicou que este problema já se verificava com a chegada dos autocarros apenas de hora a hora em anos interiores. Este ano, verificou-se a “falta de um número significativo de autocarros” e a consequente “desarticulação entre os horários dos alunos e os dos autocarros”. A câmara e os TST “reconheceram que os horários anteriores não serviam” e definiu-se uma nova tabela.

Antes, os alunos que saíssem pelas 16:30h só podiam apanhar o autocarro que partia às 17:30h, ou seja, “tinham de esperar uma hora”, porque “já não chegavam a tempo de apanhar o autocarro das 16:30h”. Mas o pior era o horário da última saída de aulas, às 18:15h, já que a última carreira partia às 17:30h e os alunos ficavam sem qualquer meio para se deslocarem para casa. Com as alterações realizadas ontem, ao invés de partirem às meias horas, os motoristas esperam 15 minutos pela chegada dos alunos. Além disso, haverá uma carreira às 18:30h para os últimos alunos a saírem da escola.

O Presidente do CE pensa que a anterior descompensação por parte das urbanas aconteceu por a escola se encontrar localizada “numa zona periférica de Setúbal”. No entanto, os cerca de mil alunos “não podem sair prejudicados”, refere. António Pina alerta que a melhor solução seria o aumento da carreira n.º 1, que tem início e término na Terroa, mas, em período escolar, todo esse circuito começa e acaba na escola. Uma vez que o problema já está resolvido, António Pina mostra-se mais satisfeito e diz que “temos de nos conformar com aquilo que temos”.

O “Setúbal na Rede” tentou contactar o presidente do conselho de administração dos TST, António Correia de Sampaio, e com o presidente da Câmara de Setúbal, Carlos de Sousa, mas aguarda ainda por uma resposta. seta-5079263