[ Dia 20-12-2004 ] – Barreirense campeão de Inverno

0


Mestre Maco patrocina o Desporto no “Setúbal na Rede”

Barreirense campeão de Inverno 

O Barreirense venceu, este fim-de-semana, o Pinhalnovense no jogo grande desta 18ª jornada do Nacional da 2ª Divisão B Zona Sul. Dois golos, um em cada parte do encontro, onde “ganhou quem cometeu menos erros”, considera o técnico do Pinhalnovense, Paco Fortes. Um jogo rico e nada fácil, que “dominou as atenções”, tal como disse o treinador barreirense Dauto Faquirá.                              

Barreirense 2 – Pinhalnovense 0 

Campo: D. Manuel de Mello, Barreiro 
Árbitro:
João Roque, Portalegre 

Barreirense: Paulo Silva, Pedro Nunes, Sérgio Brás, Varela, Moreno, Paulo Vieira ( Moreira 60´), Milton, Saavedra ( André 72´), Marco, Pedro Duarte ( Mauro 45´) e Angel
Treinador:
Dauto Faquirá 

Disciplina: Sérgio Brás 43´, Saavedra 67´, Moreira 73´, Varela 89´ e Angel 90 

Pinhalnovense: Rodrigues, Nuno Rolo, Bruno Costa, Nuno Abreu, Toninho, Miguel, João Peixoto ( Cau 45´) Brito, Jurandir (Jorge Peixoto 62´), Rui Gomes e Pateiro (André 62´)
Treinador:
Paco Fortes 

Disciplina: Jurandir 31´, João Peixoto 39´, Nuno Rolo 53´ e Cau 57´. 

Golos:
1 – 0 Milton 22´
2 – 0 Marco 58´  

É caso para dizer que o Barreirense é o campeão de Inverno deste Nacional da 2ª Divisão B Zona Sul, já que é líder do campeonato com quatro pontos de vantagem sobre o segundo classificado, o União da Madeira, e mais seis sobre o Casa Pia e o Pinhalnovense. Esta vantagem foi adquirida, este domingo, depois dos barreirenses terem ganho ao Pinhalnovense por 2-0, num encontro entre vizinhos e, por isso, tipicamente renhido.  

Tal como o técnico do Barreirense Dauto Faquirá esperava, “a formação de Pinhal Novo não deu facilidades, pois já sabia que ia encontrar um plantel forte com defesa muito apertada”. Sublinhe-se que o Pinhalnovense tem actualmente a melhor defesa da prova. Paco Fortes, que queria “dar uma prenda de Natal aos sócios pinhalnovenses”, não conseguiu liderar o ataque e, sobretudo, “aproveitar as poucas oportunidades que surgiram”

Com um terreno de jogo nada fácil, o encontro começou morno, com poucas situações de perigo para ambos os lados. O mau estado do relvado também não deixou lançar grandes jogadas em contra-ataque, e proporcionar aos muitos adeptos presentes lances de bom futebol. Passados os primeiros 15 minutos de jogo, Rodrigues teve o primeiro aviso de que os avançados do Barreirense poderiam surgir de repente para tentar inaugurar o marcador. À primeira Rodrigues conseguiu agarrar, mas à segunda foi de vez. Um livre frontal de Marco conseguiu atravessar a barreira defensiva azul e branca e, perante uma defesa incompleta de Rodrigues, Milton fez o primeiro golo da partida. 

A perder por uma bola a zero, Paco Fortes fez algumas mexidas na equipa, fazendo rotações em campo, e passou a usar dois pontas de lança, um meio campo mais apertado e uma barreira defensiva ainda mais unida. Sem grandes histórias para contar nestes primeiros 45 minutos, o Barreirense e o Pinhalnovense criaram poucas situações de perigo. Quase no fecho desta parte do encontro, foi o Pinhalnovense que tentou dar nas vistas com alguns lances que surgiram quando ninguém esperava, através de Jurandir e Pateiro. Também o jovem João Peixoto deu nas vistas antes de sair lesionado com um golpe na face, tendo criado uma situação perigosa, onde valeu a atenção de Paulo Silva. 

No arranque do segundo tempo, o Barreirense entrou com vontade de voltar a marcar, e foi isso mesmo que fez, através de uma jogada com cabeça tronco e membros, que deu maior descanso aos barreirenses. Depois de uma perda de bola do Pinhalnovense, os homens de vermelho e branco arrancaram com a bola para a frente em contra ataque, tendo Marco e Saavedra conseguido tirar do caminho parte da defensiva pinhalnovense, e despistado Rodrigues, com Marco apenas a empurrar a bola para o fundo da baliza adversária. 

Para Paco Forte este golo “matou o jogo, ainda por cima logo no início do segundo tempo”. O técnico do Pinhalnovense apontou a “falta de eficácia e de concretização na sua equipa” e recorda a velha máxima do futebol “quem não marca sofre e quem erra mais perde”. Paco Fortes deu os parabéns ao adversário que “soube aproveitar as falhas dos jogadores do Pinhalnovense e que defenderam o resultado”. O Pinhalnovense ocupa agora o segundo lugar da tabela classificativas, mas o treinador “quer continuar a trabalhar, ate porque ainda há muito campeonato para jogar”. 

Do lado oposto o treinador líder salienta que “foram poucas as oportunidades que o Barreirense teve, mas mesmo assim conseguiu aproveitá-las e concretizar”. “O Pinhalnovense não deu grandes espaços de manobra”, sublinha Dauto Faquirá, que enaltece o “trabalho técnico e táctico da sua equipa”

Amora 1 – Atlético 1  

O Amora perdeu, este fim-de-semana, a hipótese de subir pelo menos mais um lugar na tabela classificativa. Mais um empate averbado à formação de Rui Dias, que não conseguiu dar a volta ao resultado. “O Amora teve algumas hipóteses de estar em vantagem” e, mesmo depois do empate, os amorenses poderiam ter feito o golo da vitória, analisa Rui Dias, que refere mais uma vez “algumas falhas, sobretudo, na concretização”.  

O trabalho que tem sido feito, explica o técnico, “tem dado alguns frutos, nomeadamente na vertente táctica” onde garante que “se nota uma maior preocupação por parte dos jogadores, para um trabalho mais coeso no sector defensivo e na zona central do terreno”. Rui Dias refere ainda “o trabalho do adversário que dificultou a vida do seu plantel com um jogo rápido e muito ofensivo”

Vasco da Gama de Sines 0 – Olivais e Moscavide 0 

Com três empates neste Campeonato, o Vasco da Gama ficou, este fim-de-semana, a zeros diante o Olivais e Moscavide. Depois de alguns jogos com sinal mais para os homens de Sines, o Vasco da Gama voltou a perder pontos e a ficar aquém do que tem demonstrado nas últimas jornadas.  

O presidente do clube explica que “foram feitas algumas alterações na equipa, quer em termos humanos, quer técnicos e tácticos, e essas mudanças têm dado bons resultados”. Com uma equipa jovem, o Vasco da Gama de Sines “tem conseguido demonstrar que, apesar do seu lugar na tabela, quer continuar a lutar e a mostrar que sabe jogar futebol, fazendo frente aos adversários”, acrescentaJosé Campos.  seta-9609168