[ Dia 23-12-2004 ] – Obras no quinto piso do São Bernardo avançam em Janeiro 

0

Obras no quinto piso do São
Bernardo avançam em Janeiro 

As obras de remodelação e beneficiação do quinto piso da ala antiga do Hospital de São Bernardo (HSB) avançam no próximo dia 3 de Janeiro. O contrato de adjudicação das obras entre o hospital e a empresa responsável foi assinado esta manhã. O presidente do Conselho de Administração do HSB, Reis de Oliveira, está “satisfeito” porque “desde 1998 que o projecto não saia do papel”.  

Reis de Oliveira garante que o prazo da obra, 180 dias, vai ser “rigorosamente cumprido”. Ou seja, entre Maio e Junho, a nova unidade “é inaugurada”, até porque os responsáveis pela obra visitaram hoje o local “para começar a instalar o estaleiro necessário”. A ala a remodelar corresponde à Unidade de Internamento de Infecciologia e terá 28 quartos, quatro deles de pressão negativo ou de isolamento total.  

O investimento ronda os 1,4 milhões de euros, mas “o HSB suporta apenas 50% dos custos”. Os restantes valores serão comparticipados pelo Programa Saúde 21. O custo total “é Agravado pelo acréscimo da inflação de 1998 a 2004”. A remodelação “aumenta a capacidade instalada do hospital” porque o serviço de medicina “deixa de ter camas ocupadas com doentes da Infecciologia”, uma vez que passa a haver uma unidade própria.  

A administração vai arrancar também com a recuperação e beneficiação dos elevadores do bloco antigo. Reis de Oliveira lembra que estão previstos 18,8 milhões de euros no Orçamento de Estado para o HSB. O dinheiro vai ser aplicado “no acabamento do edifício da ala nova, na actualização das urgências e na criação de uma unidade de cirurgia ambulatória”.  

De salientar o avanço do projecto “numa conjuntura económica difícil”, mas a administração sabia que era um projecto “importante” para a população de Setúbal e que estava pendente desde 1998. A presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), Ana Maria Santos, sublinha o facto de Setúbal estar perante “um momento histórico” devido “à retoma de um projecto abandonado há seis anos”.  

A presidente não percebe o atraso das obras porque Setúbal “é o terceiro distrito do país com maior incidência do vírus da Sida” e os valores de tuberculose também “são altos”. Assim, “há muitos anos que se justificava a criação de uma Unidade de Infecciologia”. Com o novo equipamento o São Bernardo torna-se “um centro de excelência no combate a estas patologias, a sul do Tejo”.  seta-3493447