[ Dia 20-12-2004 ] – Obras da Escola de Poceirão e Marateca arrancam em 2005.

0

Obras da Escola de Poceirão e Marateca
arrancam em 2005

As obras de construção da nova Escola Básica 2 e 3 de Poceirão e Marateca “devem arrancar até ao final do ano 2005”. É a expectativa do director da Direcção Regional de Educação de Lisboa (DREL), José Maria de Almeida, que hoje assinou com a Câmara Municipal de Palmela o protocolo de cooperação para a construção do equipamento. O responsável espera que a escola “esteja pronta para receber aulas a partir do ano lectivo 2006-2007”

O director-regional da DREL garante que esta entidade está “a trabalhar de forma célere para terminar o projecto de arquitectura”, para que o concurso público para adjudicação da obra seja lançado em Julho do próximo ano. Considera que os técnicos da DREL têm um “grande desafio” pela frente, mas acredita que “haverá obra ainda em 2005”.    

Num acto “simbólico” e de “grande importância para a população das freguesias de Poceirão e Marateca”, José Maria de Almeida sublinha o “trabalho de parcerias entre a autarquia de Palmela e a DREL”. O acordo foi feito num tempo “recorde” e para tal “muito contribui a colaboração da Câmara de Palmela”, que disponibilizou o terreno e se compromete a construir algumas infra-estruturas. É o caso da construção de passeios e do parqueamento da escola, bem como de acessibilidades e redes de saneamento, abastecimento de água e electricidade.

O director-regional afirma que “todos são cidadãos de primeira” e, por isso, a DREL quer “eliminar as assimetrias entre os alunos do meio rural e os alunos dos meios urbanos. A Escola Básica 2 e 3 de Poceirão e Marateca é um “investimento de futuro” para uma população que não quer ver as suas crianças abandonarem as freguesias. Será também “um pólo de desenvolvimento” e uma escola que “vai combater o insucesso, a exclusão e o abandono escolar”.

A assinatura do protocolo de cooperação é um passo “muito importante”, mas agora é preciso “recuperar o tempo perdido e por mãos à obra” para a escola ser construída o mais rápido possível. “A Escola de Poceirão e Marateca é um projecto em marcha que já não pode voltar atrás”, sublinha. Amanhã mesmo, o protocolo será homologado pelo secretário de Estado da Educação.

Para a presidente da Câmara Municipal de Palmela, Ana Teresa Vicente, o dia de hoje tem um “significado muito especial para a autarquia, juntas de freguesia de Poceirão e Marateca e população do concelho, em geral”. A autarca mostra “grande satisfação” por, finalmente, “sentir verdadeiro empenhamento na resolução do problema”, por parte da DREL.

Este facto é ainda mais relevante por, ao fim de mais de 13 anos de reivindicação, a DREL ter resolvido avançar para a construção da escola “nos termos e nos contornos colocados pela câmara, juntas de freguesia e população”. Ou seja, “para que a escola a construir correspondesse inteiramente às necessidades da população teria de incluir o terceiro ciclo do ensino básico”. Inicialmente, a DREL confirmava apenas o segundo ciclo, mas o novo director “mostrou mais abertura para discutir o acordo”.

A autarca acredita que a futura escola tem uma dupla função. Em primeiro lugar, “corresponde a uma oferta que todas as crianças têm direito”, que é a de terem uma “escola em condições à porta de casa”. Por outro lado, cumpre a função de “ajudar a combater o afastamento das populações das zonas rurais”. Ou seja, ajuda a “fixar e, até, atrair mais pessoas para estas freguesias”. Por isso, o dia de hoje, “é muito importante para estas populações”.

A presidente da Câmara de Palmela lembra que em conjunto com as juntas de freguesia e a população “reivindica, desde os anos 80, a construção de uma escola em Poceirão e Marateca, que abranja os alunos do 5.º ao 9.º ano de escolaridade”. O Ministério da Educação propôs no início de 2004 elaborar um projecto que contemplava todos os níveis de ensino, até ao 12.º, mas numa primeira fase o equipamento a construir apenas contemplaria o 6.º ano. O avanço para a segunda fase ficaria dependente da evolução da população escolar.

Para garantir o funcionamento do 5.º ano no Poceirão, no presente ano lectivo, a DREL mandou instalar pavilhões pré-fabricados num terreno cedido pela câmara. Entretanto, a câmara recebeu da DREL uma proposta de colaboração para construção de uma escola de segundo ciclo. Esta proposta não foi aceite “por não corresponder aos compromissos assumidos pelo então ministro da Educação”. Mas, a 16 de Dezembro de 2004, o actual director da DREL acordou com a presidente da Câmara de Palmela assinar um acordo de colaboração que define claramente a construção de uma escola de 2.º e 3.ºciclos.

Por ser um momento “já esperado há muitos anos”, o presidente da Junta de Freguesia de Poceirão, José Silvério, mostra-se “muito satisfeito” com o avanço da escola. Recorda que esta necessidade foi desde logo sentida quando a junta de freguesia foi fundada em 1988, mas foi preciso um longo caminho para se assinar o protocolo. Agora o sentimento é de “muita esperança”, mas também com a certeza de que, “finalmente, a escola vai ser construída”.

Sublinha o “empenhamento e a força de vontade” do novo director da DREL e espera que realmente a escola esteja pronta em 2006. Os antigos ministros e directores da DREL consideravam que “não havia necessidade de uma escola nesta freguesia”, porque “não conhecem a realidade do local”. Esta escola era necessária para “combater o abandono escolar” e a “desertificação da freguesia”.

O presidente da Junta de Freguesia de Marateca também está “muito feliz” com a assinatura do protocolo que é uma “verdadeira prenda de Natal”. “As crianças vão ficar mais perto de casa e serem melhor acompanhadas nos seus estudos”, acredita o autarca. seta-3657822