[ Dia 30-12-2004 ] – Moradores queixam-se de maus cheiros em Corroios

0

Moradores queixam-se de maus cheiros em Corroios 

Os moradores de Santa Marta de Corroios, no concelho do Seixal estão descontentes e queixam-se que os caixotes do lixo “cheiram muito mal”. Os moloques, os novos caixotes do lixo, “estão há alguns meses sem serem lavados”, refere ao “Setúbal na Rede”, a moradora Alberta Matos. A moradora diz mesmo que os caixotes “estão um nojo”. 

Segundo a moradora, no Inverno, “com a humidade o cheiro torna-se pior”. Se os moloques estivessem junto ao jardim, mais longe das habitações “não se notava tanto o cheiro”. Mas estando ali, mesmo junto aos prédios, o cheiro “torna-se insuportável”, explica Alberta Matos. A inovação dos caixotes do lixo para moloques “foi uma melhoria”, mas a manutenção “não é feita da melhor maneira”, o que provoca “este mau estar aos moradores”. “Mesmo quando existe pouco lixo o mau cheiro continua”, salienta 

A moradora conta que “já foram enviadas cartas” para a Câmara Municipal do Seixal “a explicar o problema” e a exigir que este “se resolva o mais rápido possível”. Os homens que vêm buscar o lixo pediram a alguns moradores “para que protestem”, pois “é complicado também trabalhar assim”. Alberta Matos refere ainda que, “durante um mês, vieram duas vezes lavar os moloques”

De acordo com Ana Sofia Campos, da Câmara Municipal do Seixal, os moloques existentes em Santa Marta de Corroios “são despejados dia sim, dia não, consoante o lixo que contém”. No Verão, os moloques “são lavados uma vez por mês”, ou então quinzenalmente, “conforme o estado em que se encontram”. No Inverno, são lavados “de três em três meses”. A lavagem é feita “tanto na cuba, como na tampa”

Ana Sofia Campos conta que, todos os dia,s “entre as 7 e as 14 horas”, existe uma equipa que “passa pelos vários moloques para os despejar”. Em algumas zonas, a manutenção dos moloques “é mais difícil”, nomeadamente nos sítios que “ainda estão em construção”, explica. seta-1048074