[ Setúbal na Rede] – Clipping

0
Rate this post

Clipping
 

“Na primeira semana deste novo ano vai nascer na Internet uma publicação muito especial. Trata-se de “Setúbal na Rede”, Semanário Digital Independente da Região de Setúbal”.

 Jornal de Notícias, 2 de Janeiro de 1998

““Setúbal na Rede” é o título da nova publicação que promete ser inédita mesmo a nível nacional, já que ao contrário de outras edições «on-line» não possui um suporte de papel, leia-se jornal convencional”.

 O Setubalense, 5 de Janeiro de 1998

“Este novo jornal é também um bom exemplo de uma alternativa para a comunicação regional. Logo na primeira edição o número de acessos excedeu as expectativas dos seus fundadores”.

Público, 13 de Janeiro de 1998

“Apesar de no início «ter sido feito em minha casa, com o meu computador e num regime amador», o jornal já está a entrar numa fase mais adulta, segundo o seu director. «Estamos a constituir uma empresa com o apoio do Centro de Empresas e Inovação de Setúbal (CEISET)», conta Pedro Brinca”.

Diário Económico, 12 de Maio de 1998

“Este simpático semanário digital serve como mais um exemplo do modo como a edição noticiosa, exclusivamente electrónica, está a ganhar cada vez mais adeptos em Portugal”.

Exame Informática, Setembro de 1998

“O “Setúbal na Rede” é o primeiro e único jornal em ‘formato’ informático da região, que começa a registar um significativo índice de ‘visitas regulares’. Acompanhando em especial a actualidade, apresenta um conjunto diverso de artigos de opinião e começa a ter um interessante banco de dados, informação preciosa ao nível regional”.

Sem Mais Jornal, 31 de Dezembro de 1998

“Num só ano o “Setúbal na Rede” levou o distrito aos setubalenses, a todo o país e ao mundo, tornando-se numa referência”.

Correio de Setúbal, 11 de Janeiro de 1999

“O primeiro semanário português «on-line», “Setúbal na Rede”, comemorou sexta-feira o primeiro aniversário, numa cerimónia que reuniu empresários, autarcas e membros do governo”.

Diário Económico, 12 de Janeiro de 1999

 “O jornal exclusivamente “on-line” vai avançar, a partir de agora, com o fórum de discussão, um gabinete de apoio ao consumidor e uma secção de classificados, implementando também uma área de passatempos”.

Correio de Setúbal, 5 de Julho de 1999

 “Passados dois anos, o grau de exigência é maior, assim como a responsabilidade pois, segundo Pedro Brinca, director do “Setúbal na Rede”, “o jornal já mexe com muita gente e os políticos lêem-no atentamente”.

Dirigir – Revista para Chefias, Setembro/Outubro de 1999

“O “Setúbal na Rede” foi nomeado para o «Prémio Jovem empreendedor 1998», candidatura que exigiu os seguintes requisitos: inovação, exequibilidade financeira, adequação ao mercado e credibilidade das referências académicas e profissionais dos promotores. O jornal está entre os 12 finalistas que por sua vez foram seleccionados entre 200 concorrentes”.

O Setubalense, 12 de Novembro de 1999

 “O “Setúbal na Rede” é um dos bons exemplos de jornal electrónico e esta semana colocou na rede a sua centésima edição”.

Diário de Notícias, 1 de Dezembro de 1999

“Para assinalar o segundo aniversário o primeiro jornal digital do país, vai lançar o livro “É como Diz o Outro…” de Fernando Cameira, uma compilação das crónicas literárias publicadas on-line durante o último ano. Este trabalho constitui o primeiro testemunho físico desta publicação digital”.

Correio de Setúbal, 31 de Dezembro de 1999

 “Pedro Brinca, director do “Setúbal na Rede”, salienta que o jornal digital está já implantado. Constitui leitura obrigatória nos mais diversos centros de interesse. O ano 2000 vai ser de afirmação desta publicação, pioneira em Portugal e cujo trabalho já tem sido reconhecido a nível nacional, afirma”.

Jornal de Notícias, 2 de Janeiro de 2000

“Em média, por edição, o número de leitores fixa-se nos cinco mil e as notícias mais lidas referem-se a questões políticas, sociais e ambientais. Os leitores não se resumem à região de Setúbal, atingindo Lisboa e até mesmo algumas comunidades de emigrantes portugueses nos Estados Unidos, Canadá, Brasil e Europa Central”.

Diário Económico, 3 de Abril

“Prémio Gazeta de Jornalismo 1999 – Na Imprensa regional, foi distinguido um jornal regional na Internet, o semanário “Setúbal na Rede” ”.

Público, 4 de Maio de 2000

“A distinção atribuída ao “Setúbal na Rede”  pelo  júri daquele que é considerado  o mais prestigiado prémio nacional do jornalismo, faz do semanário digital o primeiro jornal do distrito de Setúbal a arrebatar um prémio desta natureza”.

Sem Mais Jornal, 4 de Maio de 2000

 ““O Futuro que Queremos para o Distrito de Setúbal” é o tema central de um debate promovido pelo jornal digital “Setúbal na Rede”, no próximo dia 18 de Maio no Novotel de Setúbal. Em discussão vão estar questões que interessam ao Distrito e que pretendem ir de encontro a um dos objectivos que o “Setúbal na Rede” defende – contribuir para o desenvolvimento da região”.

Correio de Setúbal, 8 de Maio de 2000

“O semanário digital “Setúbal na Rede” promove amanhã um encontro poético sob o título «Eis Bocage…Conversas de Botequim». A iniciativa integra-se nos festejos bocageanos e pretende-se com ela formar uma tertúlia onde a obra e o significado da personalidade bocageana estejam presentes”.

O Setubalense, 13 de Setembro de 2000

“O processo de “Renegociação do acordo de pescas com Marrocos” é o tema do debate que o jornal digital “Setúbal na Rede” promove hoje com o objectivo de debater as perspectivas de futuro dos pescadores de Sesimbra e as soluções preconizadas pelo governo, bem como o consequente impasse na economia do Concelho e a viabilidade da actividade piscatória em Portugal”.

Nova Morada, 20 de Outubro de 2000

“Em simultâneo com as comemorações do seu 3º aniversário, a 5 de Janeiro de 2001, o semanário digital da região de Setúbal – “Setúbal na Rede” – vai editar o livro “Memórias da Revolução no Distrito de Setúbal, 25 anos Depois – Volume I””.

Correio de Setúbal, 29 de Dezembro de 2000

“O elo que liga os acontecimentos na região aos eventos nacionais é um prefácio de Otelo Saraiva de Carvalho. Aliás, o comandante operacional da Revolução teve em Setúbal alguns dos seus grandes momentos de glória”.

Visão, 25 de Janeiro de 2001

“O resultado foi um conjunto de memórias dispersas, pouco elaboradas, provavelmente subjectivas em excesso, mas de enorme verdade humana porque vividas com intensidade por gente comum. Ler esta obra, assim compilada, é entrar numa máquina do tempo que nos conduz a um dos mais exaltantes episódios políticos da segunda metade do séc. XX, na Europa”.

Adelino Gomes, Público, 3 de Fevereiro de 2001

“O trabalho notável deste livro merece ser lido com curiosidade e apetite. É natural que a obra adquira uma pertinência e interesse maiores do que a que se podia atribuir a um registo puro e simples de factos de interesse para a região”.

Francisco José Viegas, Grande Reportagem, Março de 2001

“O “Setúbal na Rede” vai promover um “Ciclo de Debates” sobre as Autárquicas 2001, no sentido de cada um dos candidatos, nos vários concelhos do distrito de Setúbal, apresentarem as suas propostas para o próximo mandato”.

Tribuna do Povo, 10 de Agosto de 2001

“Repetindo a iniciativa do ano passado, o jornal digital “Setúbal na Rede” em colaboração com a Delegação de Setúbal do INATEL, promoveu no passado dia 14 (…) a segunda edição da Tertúlia “Eis Bocage…Conversas de Botequim”, que obteve assinalável êxito na primeira edição”.

Litoral Alentejano, 15 de Setembro de 2001

“Pedro Brinca e Etelvina Baía, fundadores do jornal digital “Setúbal na Rede”, lançaram no passado dia 5, em Alcochete, o segundo volume do livro “Memórias da Revolução no Distrito de Setúbal, 25 anos Depois”, no âmbito das comemorações do 4º aniversário daquele órgão de informação”.

Litoral Alentejano, 15 de Janeiro de 2002

“As 51 entrevistas do segundo volume do livro “Memórias da Revolução no distrito de Setúbal” soam-nos como uma elegia ao PREC entoada pelos próprios actores do processo na cidade vermelha”.

Público, 30 de Março de 2002

“O reencontro dos protagonistas da revolução foi proporcionado pelo portal do distrito “Setúbal na Rede”, no âmbito do lançamento do segundo volume do livro “Memórias da Revolução no Distrito de Setúbal, 25 anos depois”.

Correio de Setúbal, 22 de Abril de 2002

“Passados 28 anos, a revolução «está por cumprir». Uma convicção verbalizada no jantar/debate promovido pelo portal do distrito “Setúbal na Rede” que juntou dezenas de protagonistas do PREC/Período Revolucionário em Curso”.

Sem Mais, 24 de Abril de 2002

“Na próxima quarta-feira, dia 15 de Maio, o Convento da Arrábida acolhe a 2ª edição do Seminário “O Futuro que Queremos para o Distrito de Setúbal”, iniciativa levada a cabo pelo jornal digital “Setúbal na Rede”. Um alargado painel de oradores irá perspectivar estratégias de desenvolvimento, com destaque para a componente ambiental”.

Gazeta de Palmela, 10 de Maio de 2002

“Com sete colaboradores a tempo inteiro o “Setúbal na Rede” implantou-se definitivamente no distrito graças à adesão de muitos habitantes que vêem nele a fonte de informação sobre Setúbal”.

Correio da Manhã, 29 de Junho de 2002

“O jornal digital “Setúbal na Rede” acaba de lançar mais três secções novas: Património, Prevenção e segurança, e Bibliotecas. Nesta última lançar-se-á brevemente, em colaboração com a Biblioteca Municipal, o primeiro grupo de leitura on-line no nosso país”.

O Setubalense, 8 de Julho de 2002
 

“A terceira edição da tertúlia «Eis Bocage… Conversas de Botequim», uma organização do jornal digital “Setúbal na Rede” abriu no dia 13 de Setembro a programação das Festas Bocagianas. Cerca de 150 pessoas estiveram presentes durante as três horas de convívio”.

Jornal Municipal de Setúbal, Outubro de 2002
 

“No âmbito da entrada oficial de Setúbal para o Clube das mais belas baías do mundo, o “Setúbal na Rede” promove um debate sobre as vantagens e desvantagens desta distinção para Setúbal”.

O Setubalense, 27 de Novembro de 2002